Segurança

Menino autista é torturado e espancado por padrasto em São José do Calçado; polícia investiga caso

COMPARTILHE
2375
Advertisement
Advertisement

A Polícia Civil de São José do Calçado está investigando um caso de tortura e agressões contra um adolescente de 13 anos, que tem autismo, e que precisou ser hospitalizado depois de sofrer inúmeras lesões no corpo. O principal suspeito do crime é o padrasto do menino, que fugiu após saber que equipes da Polícia Militar e do Conselho Tutelar estavam na casa dele nesta segunda-feira (24).

Continua depois da publicidade

Conselheiras tutelares foram até a residência acompanhadas por policiais depois de receberem denúncias de populares que contaram que o menino vinha sendo agredido pelo homem, mas no último final de semana, havia apanhado violentamente e estaria com muitas lesões.

No local, foi possível confirmar a versão das testemunhas, mas a mãe da vítima relatou que as marcas no corpo do menino eram provenientes de um tombo. Ele foi levado ao Hospital São José, e lá, a equipe médica confirmou que as feridas e hematomas foram provocadas por agressão e não pela queda.

Além das diversas lesões, o menino estava com ferimento grave no órgão genital e, segundo a própria vítima, o suspeito utilizava meias para amarrar e lesionar a parte do corpo com objetivo de torturá-lo.

Continua depois da publicidade

Segundo a ocorrência, a mãe não soube explicar sobre os episódios de violência e será chamada para depor nos próximos dias. O menino também será ouvido dentro de suas condições.

O delegado do caso foi procurado pela reportagem, no entanto, preferiu não comentar sobre o suposto crime para não atrapalhar as investigações. Quem tiver mais informações sobre o caso pode entrar em contado com a Polícia Civil do município por meio 181, não é preciso se identificar.

Advertisement
Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here