Coronavírus

Médico oncologista orienta pacientes com câncer sobre vacinação contra Covid

COMPARTILHE
271
Advertisement
Advertisement

O mês de abril é marcado por uma campanha de conscientização destinada a fortalecer a confiança dos brasileiros nas vacinas e, com a pandemia do coronavírus, o assunto fica ainda mais em evidência. Elas protegem não apenas crianças, adolescentes e adultos, mas ajudam a prevenir diversas doenças, entre elas o câncer.

Continua depois da publicidade

Um exemplo é o câncer de colo de útero, que pode ser prevenido com a vacina contra o Papilomavírus Humano (HPV), que é oferecida pelo SUS. Ela é indicada em duas doses para meninas de 9 a 14 anos e meninos, de 11 a 14. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), este tipo de tumor mata 6 mil mulheres por ano no Brasil e deve registrar 16.590 novos casos em 2021.

As vacinas também são uma grande aliada de pessoas em tratamento de câncer, pois evitam uma série de infecções oportunistas.

De acordo com o médico Guilherme Rebello, especialista em radioterapia, de um modo geral, o paciente oncológico pode tomar vacinas, principalmente as que forem fabricadas a partir do vírus morto.

Continua depois da publicidade

“De maneira geral, quem faz tratamento de câncer pode tomar vacinas. Os imunizantes produzidos a partir do vírus morto (sua toxina ou parte de sua estrutura) são permitidos e fortemente indicados, entre eles: influenza (gripe), pneumococo, meningococo, hepatite A e B, HPV, tétano e difteria”, afirma o médico, do Instituto de Radioterapia Vitória (IRV).

Orientação médica

Já as vacinas fabricadas com vírus vivo, porém atenuado (enfraquecido), somente podem ser tomadas por pessoas em tratamento de câncer com orientação médica.

“Isso é recomendado porque dependendo do estado do sistema imunológico do paciente, ele pode desenvolver a doença. Esse cuidado deve ser aplicado às vacinas tríplice viral, febre amarela, herpes zoster, rotavírus, BCG e poliomielite oral”, destaca Guilherme Rebello.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Neste caso, existe um momento ideal para o paciente oncológico tomar essas vacinas?

“Sim. O paciente precisa estar com o sistema imunológico fortalecido, logo, as vacinas produzidas com vírus vivo atenuado devem ser tomadas previamente ao tratamento oncológico ou, em média, 3 a 6 meses após encerrado o tratamento”, diz o especialista.

De acordo com Guilherme Rebello, pessoas com câncer devem tomar a vacina contra a Covid-19 assim que o imunizante estiver disponível: “É muito importante para proteção contra a doença”. E isso não exclui a vacina contra a gripe: pacientes oncológicos podem tomar as duas.

Vacinas para pacientes com câncer

Liberadas

Influenza (gripe), pneumococo, meningococo, hepatite A e B, HPV, tétano, difteria e Covid-19.

Com orientação médica

Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), febre amarela, herpes zoster, rotavírus, BCG e poliomielite oral.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: (28) 3521-7726, [email protected].