Cidades

"Não tentei passar meu filho na frente", diz prefeito de Dores sobre confusão em PA de Guaçuí

COMPARTILHE
4315
Advertisement
Advertisement

O prefeito de Dores do Rio Preto, Cleudenir José de Carvalho, o Ninho, esclareceu por meio de vídeo a confusão ocorrida na tarde desta terça-feira (2), dentro de um Pronto Atendimento, que também envolveu outro político, o vereador Julinho Tererê, de Guaçuí.

Continua depois da publicidade

Imagens do desentendimento começaram a circular nas redes sociais, e mostram o momento em que o prefeito, alterado, discute com o parlamentar, e chega a apontar o dedo para o rosto de Tererê. O Pronto Atendimento fica em Guaçuí.

Mas, segundo Ninho (Cidadania), as imagens da câmera que fica na unidade hospitalar foram cortadas, e na verdade, quem começou a confusão foi o vereador. Isso porque surgiram boatos de que Ninho queria prioridade no atendimento médico para o filho, mas segundo o próprio chefe do Executivo de Dores, a situação foi inversa.

Continua depois da publicidade

“[…] O vereador Júlio diz que eu tentei passar o meu filho na frente da filha dele. O que é mentira. Infelizmente, eu não sei da onde o vídeo saiu. Se é do Pronto Socorro, se é da polícia ou se foi mesmo o Tererê, onde ele faz o corte [das imagens] só onde ele começa a gritar comigo e eu volto em direção a ele. Quem tentou passar a filha dele na frente foi ele, passar na frente dos outros pacientes, inclusive, ameaçando outras pessoas porque elas não tinham ido para as UBS (Unidades Básicas de Saúde), e tinham vindo para o Pronto Socorro. Vou solicitar todo o vídeo e vou publicar para as pessoas verem”, relatou.

O prefeito contou ainda, que se sentiu frustrado com a atitude da enfermeira, que acabou cedendo a prioridade para a filha do vereador.

“O mais triste é que a enfermeira de plantão, que eu não sei o nome, aceitou isso. Onde eu disse para ela: só porque ele falou que era vereador, não vai passar na frente de ninguém, se ele está vereador eu estou prefeito, e tem mais outras pessoas aqui, que nem pela triagem passaram ainda. Errado foi todo o sistema, mas, eu não tentei passar meu filho na frente da filha do Júlio”, finalizou.

Advertisement

O que diz o vereador

Continua depois da publicidade

Procurado pela reportagem, Julinho, que legisla pelo Republicanos, esclareceu que aguardava atendimento médico junto a filha antes da chegada do prefeito à unidade, e que em nenhum momento solicitou prioridade no atendimento.

“Minha filha seguiu a ordem de atendimento normal e, quando o prefeito Ninho chegou ao Pronto Socorro, eu já estava aguardando com ela o atendimento. Isso pode ser comprovado pela ficha de atendimento, pelas imagens das câmaras, e pelas pessoas que ali estavam. Ele [Ninho] deduziu que estaríamos em uma suposta vantagem e, de forma grosseira, passou a ofender a atendente e outros funcionários com palavras de baixo calão, causando transtorno no local”, afirmou o vereador.

Julinho contou, ainda, que após a polícia ser acionada, o prefeito teria fugido do local, e que já fez um boletim de ocorrência sobre o caso. O parlamentar afirmou que “tomará todas as medidas judiciais cabíveis“. 

 

 

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].