Economia

Vice-presidente da Câmara prevê votação de MP sobre crédito consignado no dia 8

COMPARTILHE
16
Advertisement
Advertisement

O vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), disse que a votação da medida provisória que amplia a margem de crédito consignado de aposentados e pensionistas durante a pandemia do novo coronavírus será realizada na segunda-feira, 8, por meio de sessão remota. “A MP 1006 será votada em sessão remota na próxima segunda! Nossos aposentados não podem mais esperar”, comentou ele, em sua conta no Twitter.

Continua depois da publicidade

O texto estava na pauta das sessões realizadas na Casa na quarta-feira à tarde e, nesta quinta-feira, 4, de manhã, mas não houve acordo para votação.

A estratégia visa a deixar as sessões de terça e quarta apenas para a apreciação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que abre possibilidade de pagamento de nova rodada do auxílio emergencial. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse que deve votar a admissibilidade do texto na terça-feira e os dois turnos no dia seguinte.

Advertisement

A MP 1006 amplia o limite de comprometimento da renda dos beneficiários do INSS dos atuais 35% para 40% – sendo 35% para consignados e 5% para saque ou pagamento de cartão de crédito. Hoje, o limite é de 35%: 30% para empréstimos com desconto em folha e 5% para cartão de crédito.

Continua depois da publicidade

O parecer do relator, deputado Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM), estende o prazo das medidas até o fim de 2022. Além disso, aumenta a margem do consignado para servidores públicos federais e trabalhadores com carteira assinada para 40%.

Os deputados argumentam que não houve ajuda aos aposentados durante a pandemia e que eles têm recorrido a outros bancos, financeiras e agiotas, que oferecem dinheiro a um custo maior, para ter acesso a crédito quando o limite do consignado é atingido.

Anne Warth
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].