Segurança

Hacker preso em Cachoeiro com R$ 7,5 milhões é solto após pagar fiança

COMPARTILHE
2700
Advertisement
Advertisement

O hacker preso em Cachoeiro de Itapemirim, no início de fevereiro, foi solto após pagar uma fiança de R$ 110 mil.  O homem de 32 anos é acusado de invadir celulares para roubar contas bancárias. Na residência onde morava, um dos residenciais mais nobres da cidade, a Polícia Federal encontrou R$ 7,5 milhões em notas de R$ 100 e R$ 50, além de um quilo de ouro em barras.  As informações são da Folha de São Paulo.

Continua depois da publicidade

Sem vínculo empregatício e morando em um dos residenciais mais bem quistos de Cachoeiro de Itapemirim, localizado em bairro nobre, o mentor intelectual de um esquema criminoso que furtava dinheiro de contas da Caixa Econômica e do Banco do Brasil vivia uma vida bacana, mas sem ostentar os milhões que arrecadava com as fraudes bancárias.

Considerado pela Polícia Federal um programador de software experiente e muito inteligente, o investigado que encabeçava a organização criminosa desenvolveu um malware – um tipo de programa de computador desenvolvido para infectar o computador. Ele criava um cadastro por meio de mensagem chamativa, enviada por e-mail ou por redes sociais, a vítima colocava seus dados pessoais no link, que roubava as informações.

O diferencial do esquema criado pelo criminoso era que, quando a vítima clicava no link, ele tinha acesso remotamente ao dispositivo da pessoa, fossem eles computadores ou celulares, e aí, em posse dos dados e acesso, fazia transferência bancárias para contas de laranjas.

Continua depois da publicidade

Depois disso, ele aplicava o dinheiro em Biticoin, e transferia para sua conta. Parte ficava com ele, e outra parte ficava com os demais membros do grupo. Além do apartamento em Cachoeiro, ele era dono de um imóvel em um residencial de luxo em Guarapari.

 

Advertisement
Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: (28) 3521-7726, [email protected].