Educação

Assistentes sociais também desempenham papel importante na pandemia; confira

COMPARTILHE
Young beautiful woman studying or working with laptop computer sitting at modern loft living room. Distant job and education concept. Female freelancer concentrated on her project. Focus is on hands.
3
Advertisement
Advertisement

A pandemia de Covid-19 aumentou, ainda mais, a dificuldade de determinados grupos de brasileiros terem acesso a direitos básicos como saúde, educação e trabalho. Nesse contexto, além dos profissionais de saúde que estão na linha de frente, outros se mostram fundamentais. Como é o caso dos profissionais do Serviço Social, que atuam com objetivo de orientar as pessoas em situações de desamparo, promovendo seu bem-estar físico, psicológico e social.

Continua depois da publicidade

Uma das principais atuações dos assistentes sociais são em hospitais, mas eles podem trabalhar em órgãos governamentais e não governamentais, do terceiro setor, como em ONG’s, e na esfera privada. E, no período da pandemia, onde todos precisaram adaptar sua vida pessoal e profissional ao novo normal, trabalhar como autônomo foi uma forma de se reinventar.

A recém-formada Karine Silva, 25, explica que a atuação dos assistentes sociais vai muito além da palavra “ajuda” e, muitas vezes, é confundida com caridades. “Nós atuamos e contribuímos para que todos tenham acesso aos seus direitos, que muitas vezes são negados e negligenciados pela esfera pública. Através do nosso trabalho, as situações são expostas e tratadas de forma técnica, sem esquecer o lado humano”, conta.

A graduada em História e mestre em Estudos de Cultura e Território, Maria Leal, sempre teve o desejo de fazer uma graduação em Serviço Social. Ingressou na nova graduação e se descobriu. “Tenho muitas expectativas com o curso. Ainda estou no terceiro semestre e vem muita coisa pela frente. Com a situação da pandemia, tudo ficou complicado, mas penso que, quem sabe no futuro, a gente tenha um país mais voltado para a solução destas questões sociais”, diz.

Continua depois da publicidade

Na cidade onde mora, em Araguiana, estado do Tocantins, a estudante foi uma das primeiras pessoas a ter a suspeita de Covid-19, e lembra do desempenho dos assistentes sociais no combate à pandemia. “Fui a segunda pessoa na minha cidade a ter suspeita de contaminação pelo vírus. Então, uma assistente social ligava para saber como estava, para conversar e isso fez com que eu não me sentisse tão isolada, tão sozinha”.

O Serviço Social abre espaço para conduzir as pessoas que estão em situação de vulnerabilidade a novas portas.  Na pandemia, os assistentes sociais estão trabalhando para garantir direitos para pacientes e familiares. “Eu sei que não é um trabalho fácil, é árduo e nem sempre valorizado como deveria. Mas a expectativa de que você possa estar atuando para melhorar a vida das pessoas, mesmo que não seja de uma hora para outra, já é algo significativo”, conclui a estudante.

 

Advertisement
Continua depois da publicidade

O Serviço Social na prática

Se você pensa em optar por Serviço Social terá que se dedicar a uma graduação que dura, em média, quatro anos. O curso o habilitará para diversas prestações de serviço à sociedade, como:

– elaborar e implementar programas de bolsa de estudo e auxílio financeiro, assim como selecionar os estudantes que receberão o benefício;

– coordenar programas que discutem temas relevantes na área de saúde, lazer e segurança no trabalho; orientar comunidades e trabalhadores a respeito dos programas sociais implementados, informando-os sobre as políticas públicas, direitos sociais e trabalhistas;

– criar projetos para a garantia de direitos de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social; garantir que a população tenha acesso a informações e ações educativas.

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

 

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: (28) 3521-7726, [email protected].