Esporte Nacional

Com um a menos, São Paulo perde do Botafogo no Rio e anima Internacional

COMPARTILHE
59
Advertisement
Advertisement

O São Paulo continua realizando façanhas neste Brasileirão. O problema é que nos últimos tempos as façanhas são sempre negativas. Como a desta segunda-feira, quando perdeu para o lanterna e rebaixado Botafogo por 1 a 0, no Engenhão. E Luciano ainda perdeu um pênalti. Com isso, desperdiçou a chance de garantir a vaga direta na fase de grupo da Copa Libertadores.

Continua depois da publicidade

Em quarto lugar, com 63 pontos, ainda pode ser ultrapassado pelo Fluminense (61) na última rodada. Quem gostou foi o vice-líder Internacional, pois agora o São Paulo está obrigado a vencer o líder Flamengo na quinta-feira se quiser garantir a vaga por suas próprias forças. O time gaúcho precisa torcer por um tropeço do Fla para ficar com o título.

Para o São Paulo, nem o empate pode servir na última rodada se o Fluminense bater o Fortaleza, pois o time carioca seria o quarto pelo número de vitórias. Aí, restaria ao time do Morumbi torcer para o Palmeiras ser campeão da Copa do Brasil, para poder herdar a quinta vaga direta.

O vexame do São Paulo pode ser medido pelos números do Botafogo. Havia ganho 1 ponto nos últimos 10 pontos – 1 empate e 9 derrotas. Nas últimas 23 partidas, venceu apenas 1 (2 a 1 no também rebaixado Coritiba, em 19 de dezembro passado), com 4 empates e 18 derrotas. E nesta segunda chegou apenas a seu 27º ponto no Brasileirão.

Continua depois da publicidade

Em campo, as jogadas das duas equipes ficaram muito concentradas pelo meio na etapa inicial. Com isso, além de o espaço ser menor, por causa do “congestionamento” do setor, o perde e ganha foi acentuado. O Botafogo, com um time inexperiente, pois já prepara a garotada para o Campeonato Carioca e, mais para a frente a Série B, tinha dificuldade para dar prosseguimento às jogadas. O São Paulo se enrolava na marcação.

A primeira boa chegada foi do São Paulo e aconteceu aos 7 minutos. O time entrou tocando e a bola ficou para Reinaldo bater da entrada da área, por cima do gol. O Botafogo devolveu quase imediatamente. Após uma retomada de bola, Kayque arriscou de fora da área e Tiago Volpi defendeu no meio do gol.

Depois disso, demorou quase 20 minutos para alguma equipe criar jogada de perigo, e foi o Botafogo. Primeiro em um cruzamento de Ênio, que Kaique não alcançou. Logo depois, Ênio aproveitou a falha de marcação e recebeu livre na área, mas chutou fraco e Volpi pegou.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Aos 29, o São Paulo permitiu ao Botafogo um contra-ataque que terminou com a expulsão de Reinaldo. Com o time marcando muito adiantado, o time carioca roubou a bola e Warley foi lançado em velocidade. Ganhou na corrida do lateral-esquerdo e quando se preparava para entrar na área foi derrubado. O árbitro Bráulio da Silva Machado considerou que havia chance real de gol, pois o atacante entrava livre, e aplicou vermelho a Reinaldo, que por isso não enfrenta o São Paulo na quinta-feira.

Aí, o Botafogo se empolgou e passou a jogar do campo defensivo do São Paulo. A sorte dos paulistas é que a qualidade técnica dos cariocas é baixa. Teve chance com Bruno Nazário e depois com Warley (Volpi defendeu), mas a melhor delas foi com Ênio, na entrada área, mas o goleiro são-paulino rebateu a bomba.

Após 10 minutos de pressão do Botafogo, explorando o buraco deixado por Reinaldo (Sara foi deslocado para a lateral, mas não se achou), o interino Marcos Vizolli decidiu colocar Léo no lugar de Toró para recompor o setor.

Mas o sufoco continuou. Volpi ainda teve de fazer outra boa defesa em chute cruzado da direita de Warley, espalmar com dificuldade um chute forte de Luiz Otávio de fora da área e ainda viu um chute de Bruno Nazário, na 10ª conclusão do Botafogo, desviar na zaga e ir para escanteio antes de a etapa acabar, para alívio dos são-paulinos.

O problema é que o jogo não mudou na etapa final. O sufoco continuou. O Botafogo, que trocou um volante (Kaique) por um centroavante (o grandalhão Matheus Baby), manteve o bombardeio. Faltava acertar o alvo. Quando acertou, fez 1 a 0. Warley cruzou para Matheus Baby, que ganhou pelo alto de Arboleda e cabeceou sem defesa para Tiago Volpi.

Depois do gol, o Botafogo continuou atacando, em busca do segundo, aproveitando também o fato de o São Paulo ter ido mais para frente, abrindo espaços. E Tiago Volpi continuou fazendo boas defesas.

Aos 35, o juiz marcou um pênalti inexistente de David Sousa em Galeano – considerou que o zagueiro empurrou o atacante, o que não ocorreu. Após muita reclamação e confusão, a decisão foi mantida (Bráulio Machado não reviu as imagens), Luciano bateu, mas o goleiro Diego Loureiro voou no canto esquerdo e espalmou.

O São Paulo desanimou. E não teve mais forças. O Botafogo controlou o restante da partida. E mereceu vencer.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 1 x 0 SÃO PAULO

BOTAFOGO – Diego Loureiro; Kevin, Marcelo Benevenuto, David Sousa e Hugo; Luiz Otávio (Barrandeguy), Kayque (Mateus Baby) , Warley (Davi Araújo), Bruno Nazario (Cesinha) e Ênio; Rafael Navarro (Mateus Nascimento). Técnico: Lúcio Flávio.

SÃO PAULO – Tiago Volpi; Juanfran (Igor Vinícius), Arboleda, Bruno Alves (Hernanes) e Reinaldo; Luan, Tchê Tchê, Igor Gomes (Rojas) e Gabriel Sara (Galeano); Luciano e Toró (Léo). Técnico: Marcos Vizolli (interino).

GOL – Matheus Baby, aos 12 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Rafael Navarro, Luiz Otávio, Igor Gomes, Bruno Alves, Pablo, Marcos Vizolli, Rafael Navarro, Hernanes e Léo.

CARTÃO VERMELHO – Reinaldo.

ÁRBITRO – Bráulio da Silva Machado (SC).

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Almir Leite
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: (28) 3521-7726, [email protected].