Política Nacional

Bolsonaro recebe relator da PEC do auxílio e Orçamento e diz que visitará Acre

COMPARTILHE
17
Advertisement
Advertisement

O presidente Jair Bolsonaro recebeu na manhã deste domingo, 21, o senador Márcio Bittar (MDB-AC) no Palácio da Alvorada. Em pauta, a situação de emergência do Acre por causa de enchentes em várias cidades do Estado. Bittar ficou cerca de uma hora no Alvorada e o encontro contou também com a presença do ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, responsável pela articulação do Planalto com o Congresso. Em vídeo publicado nas redes sociais do senador, Bolsonaro promete ir ao Acre na quarta-feira, 24.

Continua depois da publicidade

Além do Acre, a visita de Bittar ao presidente também ocorre em um momento de expectativa pela análise do relatório do senador sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que traz a base jurídica para permitir o pagamento de novas parcelas do auxílio emergencial. O governo analisa a retomada do benefício, que deve ter até quatro parcelas de R$ 250, de março até junho.

Como o Estadão mostrou, o parecer de Bittar foi entregue na sexta-feira, 19, ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). A previsão é que o texto seja analisado pelos senadores na quinta-feira, 25. Além da PEC, que traz gatilhos para congelar despesas na União, nos Estados e nos municípios, Bittar também tem nas mãos a relatoria do orçamento de 2021.

Advertisement

“Mais uma vez mais, o presidente abre a agenda para nos receber junto com o ministro Ramos para tratar do problema que o Acre vive. Dezenas de famílias já estão ilhadas, cidades como Sena Madureira, Tarauacá, Cruzeiro do Sul e Rio Branco, e o presidente tem uma palavra de alento e de apoio a nossa gente”, disse Bittar no vídeo divulgado em sua página oficial do Facebook. Na publicação, o senador escreveu que Bolsonaro teria garantido que irá ao Acre para assegurar que “não faltarão recursos” ao Estado.

Continua depois da publicidade

“Sabemos dos problemas através do senador Bittar. Estamos agindo e na próxima quarta-feira, se Deus quiser, estaremos no Acre”, afirmou o presidente. Ao menos dez municípios do Estado, incluindo a capital, foram atingidos pelas enchentes. Além das cheias, na classificação da pandemia da covid-19, o Estado está em nível de emergência (a cor vermelha na classificação local) desde 1º de fevereiro, com reavaliação prevista para esta segunda-feira, 22.

Nesta semana, o governador do Estado, Gladson Cameli (PP), afirmou que o governo federal deve liberar R$ 450 milhões para socorrer Estados e municípios atingidos por enchentes. A liberação dos recursos, que deve ser feita por medida provisória, foi reafirmada por Cameli após reuniões com os ministros da Economia, Paulo Guedes, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Os desafios da pandemia não são os únicos problemas sanitários enfrentados pelo Acre, que também enfrenta um surto de dengue. De acordo com o governo, cerca de 80% dos atendidos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Rio Branco são de pacientes com a doença. Na capital, há 8,6 mil casos suspeitos e 1,5 mil confirmados.

Continua depois da publicidade

O Estado vivencia ainda uma crise migratória na fronteira com o Peru. Desde o dia 13 de fevereiro, cerca de 400 imigrantes, a maioria do Haiti e da Venezuela, estão acampados nas proximidades da Ponte da Amizade. Eles reivindicam o retorno para os países de origem, o que não é possível por causa do fechamento de fronteiras motivado pela pandemia. No último dia 18, o Ministério da Justiça autorizou o emprego da Força Nacional de Segurança Pública em apoio ao Governo do Acre “nas atividades de bloqueio excepcional e temporário de entrada no País de estrangeiros”. O reforço da tropa federal se dará por sessenta dias.

Emilly Behnke
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: (28) 3521-7726, [email protected].