Geral

Covid muda rotina e até perfil de igrejas

COMPARTILHE
17
Advertisement
Advertisement

A pandemia derrubou a presença em até 70% em algumas igrejas católicas de São Paulo, mudou horários e está alterando até o perfil dos fiéis. Idosos passaram a buscar alternativas pela internet, longe das aglomerações, e a meia-idade e a juventude predominam entre os que mantêm o hábito de ir às celebrações.

Continua depois da publicidade

“O movimento diminuiu bastante”, diz Alzira Cardoso Azevedo, de 62 anos, que costuma frequentar a missa pela manhã na Igreja Imaculada Conceição, dos frades capuchinhos, na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, Bela Vista, região central de São Paulo. Ela afirma que as pessoas estão assistindo à missa em casa, com medo do contágio, e preferem rezar nas transmissões por redes sociais. “Mas tem uma outra coisa acontecendo também. Aqui temos muitos jovens e eles, sim, continuam vindo nas missas mais tarde.”

“A frequência caiu mais da metade”, diz o funcionário José Oliveira. Ele explica que as pessoas se acomodavam em bancos com capacidade para quatro ou cinco sentados, mas hoje estão limitados a duas. O pároco da Imaculada Conceição, frei Nilton Groppo, de 51 anos, conta que durante a semana um horário de missa, das 19h30, foi cancelado. Ele argumenta, porém, que a redução das presenças ocorre mais entre os idosos. “Mas temos a presença de jovens em todos os horários”, diz.

Advertisement

O movimento presencial desabou também na paróquia dos irmãos paulinos, Santo Inácio de Loyola, da Vila Mariana, na zona sul. “É um bairro que tem muitos idosos”, explica o pároco Mário Pizetta, de 68 anos. Segundo ele, no segundo semestre as atividades foram normalizadas, mas com forte redução dos fiéis.

Continua depois da publicidade

Na Igreja Nossa Senhora do Brasil, nos Jardins, a percepção é semelhante. “Temos capacidade para receber 350 pessoas sentadas, mas agora temos aí cerca de 110, 115, no máximo”, conta o padre Michelino Roberto, de 54 anos, há 13 no templo da Avenida Brasil. Ele argumenta, porém, que a queda na frequência não diminuiu a fé das pessoas. Ao contrário, “a procura pelo serviço se intensificou”.

De acordo com o padre, houve crescimento da audiência das missas transmitidas pela internet, via YouTube ou Instagram, que chegam a registrar até 1,7 mil aparelhos ligados, como ocorre aos domingos.

Nas missas presenciais, salienta o religioso, os frequentadores seguem as regras do distanciamento, uso de máscaras e higiene das mãos e, além disso, desenvolvem seus meios de evitar a aglomeração. “A gente nota que há uma solidariedade natural. Eles sabem limites e buscam horários diferenciados.” Durante a missa, na hora do ofertório, é exibido um código (QR Code), com as recomendações de como agir para creditar as ofertas em dinheiro.

Continua depois da publicidade

Já na Catedral da Sé, como local de passagem, no centro, a frequência não sofreu forte redução. Mas o templo também transmite as cerimônias pelas redes sociais. Só a página da Sé no Facebook registra cerca de 12,7 mil seguidores.

Outras religiões

No Templo Budista Zu Lai, em Cotia, região metropolitana de São Paulo, as visitas, palestras e cultos foram suspensos. As reuniões ocorrem somente para transmissão pela página da internet aos sábados e domingos. Antes da pandemia, eventos chegavam a reunir mais de 5 mil pessoas.

Já fiéis das igrejas da Congregação Cristã do Brasil retornaram aos cultos. “Aqui, a gente tem os irmãos e irmãs que orientam a gente no distanciamento social nos bancos, com máscara, álcool gel e também controle de temperatura na entrada”, conta uma frequentadora de Taboão da Serra, na região oeste da Grande São Paulo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Pablo Pereira
Estadao Conteudo
Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: (28) 3521-7726, [email protected].