Saúde

“Era como se estivesse respirando e, de repente, estava me afogando no seco”, contou enfermeiro de Iúna reinfectado

COMPARTILHE
115
Advertisement
Advertisement

Emmanuel Garcia de Amorim, ou o Enfermeiro Emmanuel, como é conhecido em Iúna, trabalha na linha de frente do combate ao coronavírus e se deparou com um quadro ainda mais agressivo da doença na segunda vez que foi infectado. Ele, que também é vereador na cidade, disse, em entrevista ao programa Aqui nas Cidades, concedida na manhã desta quinta-feira (21), que a reinfecção é real, por isso pessoas precisam ter ainda mais cuidado.

Continua depois da publicidade

Emmanuel afirmou, na entrevista, que apesar de ter cuidado redobrado, acabou testando positivo pela primeira vez,  e que os sintomas foram leves. Já a segunda vez foi bem pior, e ele relatou que a falta de ar e a sensação de afogamento foram alguns dos sintomas.

“Sou portador de doença respiratória, tenho asma, sempre tive preocupação em pegar, justamente porque o vírus ataca o pulmão. Na primeira infecção senti sintomas leves, apenas um quadro de diarreia e, com relação aos outros sintomas, como febre, perda de paladar, perda de olfato,  não senti nenhum deles naquele momento”, contou Amorim.

O que ele não previa era que, além de não estar imune por já ter apresentado a doença, a segunda infecção traria sintomas seriam ainda mais agressivos. “Estou acostumado a ter falta de ar mas, dessa vez, foi diferente. Fiz uso da bombinha e não passou. Minha situação foi se agravando até que chegou um ponto que me senti tonto, porque puxava o ar e não conseguia respirar direito. Eu até pensei que fosse um quadro de asma mas, naquele momento, vi que era uma falta de ar diferente. Era como se estivesse respirando e de repente estava me afogando no seco. Procurei o médico, ele fez o teste rápido e mostrou que estava positivo, tanto no teste rápido como no swab”, explicou o enfermeiro.

Continua depois da publicidade

Mesmo quem já teve a doença não pode se descuidar e nem afrouxar na prevenção, salienta. “É um momento terrível e de grande angústia. Não desejo isso nem para o meu pior inimigo. Não podemos achar que pegou uma vez e está imune. Você, que já se contaminou uma vez, tome cuidado, porque está mais do que confirmado que existe sim a possibilidade de pegar novamente” preveniu o enfermeiro.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: (28) 3521-7726, [email protected].