Espírito Santo

A Medicina capixaba está cada vez mais jovem e feminina

COMPARTILHE
Foto: reprodução/redes sociais
768
Advertisement
Advertisement

Os homens ainda são maioria entre os médicos em atividade no Brasil, mas as mulheres vêm ganhando cada vez mais espaço na profissão. No Espírito Santo, 47,5% dos profissionais são mulheres e 52,4%, homens. Os percentuais capixabas se assemelham aos do país, onde há 53,4% de médicos e 46,6% de médicas.

Continua depois da publicidade

Há cinco anos, segundo o estudo Demografia Médica no Brasil, o percentual de mulheres médicas no país era de 42,5%, já abaixo do visto hoje em dia. Mas, se voltarmos 30 anos no tempo, em 1990, esse total era de 30,8%.

Nos grupos mais jovens, as mulheres já são maioria em 2020. Elas representam 58,5% dos médicos de até 29 anos e são 55,3% na faixa etária de 30 a 34 anos. No grupo com idade entre 35 e 39 anos, há um equilíbrio numérico entre os gêneros, com 49,7% de mulheres.

Continua depois da publicidade

A pediatra Elizandra Cola, de 33 anos, se formou há três anos na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e faz parte desse universo jovem e feminino nos hospitais capixabas. Já na faculdade, ela notou que as mulheres dominavam as turmas. No dia a dia profissional, segundo ela, ainda há áreas que são mais ocupadas pelos homens, mas isso vem mudando. “Há algumas especialidades que ainda têm mais homens, como cirurgias. E, antigamente, existia sim um pouco de machismo, mas isso tem acabado com a chegada das mulheres”.

Ela conta que sempre sonhou cursar Medicina e diz que nem sempre é fácil para a mulher equilibrar a vida doméstica com o mercado de trabalho, especialmente aquelas que desejam ter filhos. “Muitas postergam a vida familiar e deixam para ter filhos depois. E nós, mulheres, temos uma responsabilidade que não podemos delegar a ninguém, que é gerar. Então, minha dica é sempre equilibrar as coisas”, avalia.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Homens são maioria entre os mais velhos

A presença masculina na profissão médica aumenta com as faixas etárias. No grupo de 40 a 44 anos, os homens são 55,4%. Ainda que haja uma pequena redução nas faixas entre 45 e 59 anos, os médicos saltam para 59,8% no grupo com idade entre 60 e 64 anos. Na faixa etária seguinte, ou seja, até 69 anos, os homens são 67,7% e, quando acima dos 70 anos, chegam a 79%. A cada dez médicos desse grupo mais idoso, apenas duas são mulheres.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: (28) 3521-7726, [email protected].