Geral

Justiça dá 72 horas para turistas deixarem Búzios

COMPARTILHE
277
Advertisement
Advertisement

Tradicional destino turístico de final de ano, o município de Armação dos Búzios, na Região dos Lagos, entrará numa espécie de lockdown por determinação da Justiça. Após os aumentos de casos de covid-19 na península, o juiz Raphael Baddini de Queiroz Campos, da 2ª Vara da comarca local, proibiu a entrada de turistas na cidade, o acesso às praias e a circulação de táxis, carros de aplicativo e ônibus intermunicipais. A decisão é desta quarta-feira, 16.

Continua depois da publicidade

A medida se dá às vésperas do Natal e do Ano Novo, período em que Búzios costuma ficar lotada de turistas brasileiros e do mundo todo, em especial de países vizinhos como a Argentina. Quem não for morador e estiver agora no local tem até 72 horas para sair de lá.

O magistrado colocou o município em bandeira vermelha, a pior de todas criadas para classificar a situação pandêmica de cada lugar. Significa, na prática, que é necessário fazer um isolamento social completo para evitar o colapso na Saúde.

O juiz entendeu que Búzios não cumpriu compromissos firmados com o Ministério Público e a Defensoria Pública durante a pandemia. Não ampliou, por exemplo, o número de leitos de UTI. A decisão impõe multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento, mas a prefeitura ainda pode recorrer na Justiça.

Continua depois da publicidade

Outras restrições impostas pela decisão versam sobre a proibição de eventos que promovam aglomerações, como cultos, festas, shows e feiras. Isso impede que haja celebrações do réveillon nas tradicionalmente movimentadas casas de festas da cidade.

Caio Sartori
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement
Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here