Coronavírus

Como a pandemia afetará a economia de 2021

COMPARTILHE
190
Advertisement
Advertisement

A pandemia de 2020 fez com que muitas pessoas perdessem o domínio de suas vidas financeiras e por mais difícil que seja, essa passou a ser uma realidade normal tanto para brasileiros quanto para pessoas de outros países.

Continua depois da publicidade

Todo o sistema econômico foi afetado pela pandemia e esse caos pode se estender por alguns anos, já que o sistema não funciona como deveria e fica desestruturado por algum tempo.

Desde que a pandemia se instalou, negócios foram fechados, pessoas perderam o emprego e o volume de consumo diminuiu. 

Com grande urgência em se preocupar com a sobrevivência, tanto pelo vírus quanto por necessidades básicas, as pessoas deixaram de consumir, o que causou efeitos catastróficos para a economia.

Continua depois da publicidade

Sendo assim, veja abaixo um pouco mais sobre este assunto e saiba como a pandemia, mesmo que não esteja mais em curso, pode afetar a economia em 2021.

 

Como a pandemia afetou a Economia

Com o início da pandemia e a necessidade de se fazer isolamento social, o comércio ficou impedido de funcionar da forma como costuma. Isso causou impacto principalmente naquelas empresas que tinham operações exclusivamente físicas e dependiam de estar abertas para sobreviver.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Com as portas fechadas, muitas empresas tiveram que afastar ou demitir funcionários para conseguirem passar pela tempestade. Outras empresas não conseguiram aguentar as contas, a falta de dinheiro no caixa e o movimento e por isso tiveram que fechar.

Com o desemprego nas alturas, muitas pessoas ficaram inadimplentes, dificultando suas vidas e também de seus credores. Além disso, com menos poder de compra, o consumidor deixou de lado algumas compras e serviços para poder honrar com compromissos financeiros mais urgentes.

Pessoas desempregadas, sem dinheiro e empresas sem vender e receber o que já estava previsto foi o grande caos da economia. Quanto pior a situação fica para um, pior ela fica para outro, em um ciclo vicioso de grande desespero.

Quais as maiores dificuldades da economia na pandemia?

Além deste ciclo vicioso que falamos acima, a pandemia sofreu muito pela falta de alternativas para resolução de problemas.

Com o vírus à solta, infelizmente não haveria outra alternativa se não implantar o isolamento social, mesmo que moderado. Esse isolamento é prejudicial ao comércio, mas se não acontece, também se torna prejudicial por dois fatores.

  • Aumento no número de casos de COVID-19 
  • Necessidade de mais tempo de isolamento 

Se o isolamento moderado não é respeitado e o comércio não consegue se segurar com uma performance abaixo do esperado, imagina o que aconteceria se houvesse a necessidade de um isolamento total, com performance muito abaixo do esperado?

Essa é uma grande situação que pode ser definida com um único ditado popular: “se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”. 

Não tem muito para onde correr, mas dá para amenizar fazendo o isolamento social, respeitando as regras da OMS e procurando maneira de estar presente no digital para não deixar a empresa morrer no meio da guerra.

Portanto, a maior dificuldade no período de pandemia é a sobrevivência da empresa, encontrar maneiras de não fechar as portas e não criar a necessidade de um lockdown para proteger as vidas do vírus.

 

As dificuldades acabam depois que a pandemia acabar?

Agora suponha que a pandemia acabou, a vacina chegou, os casos diminuíram e o vírus não é mais um fator de alto risco atuante no caos da economia. Problema resolvido? Não é bem por aí.

Depois que a pandemia acaba, ficam os estragos:
  • Desemprego
  • Inadimplência
  • Menos contratações
  • Menos poder de consumo
  • Famílias desestruturadas financeiramente 
  • Falta de oportunidades

Com isso, os próximos anos podem ser difíceis e 2021 é o ano que mais sofrerá as consequências da pandemia da COVID-19. Por conta disso, é preciso tomar atitudes de reconstrução, reparação de estragos e evolução ao longo do tempo.

Como a pandemia pode afetar a economia em 2021

Supondo que o problema do vírus seja resolvido no final de 2020 ou nos primeiros meses de 2021, os problemas citados acima ainda permanecerão para dificultar o crescimento do país.

Agora se a pandemia demorar mais tempo a ser resolvida, a expectativa é que a queda seja ainda maior em 2021. Mais empresas perderão o controle de suas finanças e terão que fechar as portas, causando mais desemprego.

A pandemia também teve impacto direto na forma como as pessoas consomem e resolvem seus problemas. O isolamento social exigiu que empresas fossem criativas para continuar operando e fornecendo produtos e serviços que se tornam indispensáveis no dia a dia das pessoas.

Com isso, muitas empresas se digitalizaram, mesmo que parcialmente e pessoas começaram a consumir mais online, seja em apps de delivery, lojas virtuais. E até mesmo o entretenimento mudou, abrindo espaço para as lives de shows e outros eventos feitos online.

Tudo isso afeta a economia e deve permear mesmo após o fim dela. Novas necessidades e formas de consumo estão surgindo, obrigando empresas a se renovar ou ficarem obsoletas até não conseguirem se manter mais.

Alguns fatores e necessidades que afetam a economia mesmo após o fim da pandemia:

  • Digitalização 
  • Cargos substituídos pela tecnologia
  • Desenvolvimento de novas habilidades
  • Produtos e serviços com mais valor e menos preço

Seja qual for o tempo que dure a pandemia, é necessário entender como sobreviver ao caos e se reconstruir depois que tudo acabar, se adaptando ao que tem de novo para ser necessário no novo mercado.

 

Como uma empresa pode sobreviver à pandemia

Para uma empresa sobreviver na pandemia ela vai ter que dar muita prioridade ao caixa. Ter dinheiro em caixa é a solução para honrar compromissos, manter funcionários e pagar as despesas essenciais de um negócio.

Outra forma de sobreviver é aumentando as chances do seu negócio performar melhor. Para isso, toda empresa deve apelar para uma presença digital, com possibilidade de escalar o seu negócio e ter mais visibilidade online.

O ideal é começar pelo registro de domínio, contratação de um host e criação de um site para ter um espaço digital de encontro com seus clientes e fornecedores.

Neste espaço a empresa coloca informações de contato, descrição de serviços e utiliza-o como finalidade para que pessoas cheguem e a conheçam nos anúncios que podem ser feitos pelo Google e Facebook.

Também dá para criar uma loja virtual, conteúdo no blog que ajuda os clientes e interessados e fortalecer a marca para que ela se torne um parceiro do consumidor durante a pandemia e depois que ela passar.

No entanto, como passo inicial, preste bem atenção na importância do registro de domínio do seu site. Ele deve ser simples, com o nome da sua empresa, para que fique mais fácil das pessoas encontrarem quando fizerem pesquisas no buscador.

 

Como um profissional pode sobreviver à pandemia

Para profissionais, sejam desempregados, autônomos, freelancers ou qualquer outra situação, o importante é se manter útil durante o período de crise.

Ter capacitações, experiência e encontrar formas de ajudar as empresas é absolutamente necessário. Note como as empresas demitem funcionários de acordo com sua produtividade e necessidade dos serviços em tempos de crise.

Por isso, é importante ser flexível, capacitado, qualificado e oferecer um bom trabalho e de grande valor para se manter empregado ou ganhando dinheiro com o seu trabalho de alguma outra forma.

Talvez seja necessário também apostar em renda extra para complementar o orçamento. Veja algumas opções que você pode fazer sem sair de casa:

  • Criar loja virtual
  • Criar um blog
  • Vender como afiliado
  • Trabalhos freelancer
  • Compra e revenda de domínio
  • Parceiro de empresas (Magazine Luiza e Amazon)

 

Como se recuperar dos efeitos da pandemia

Depois que a pandemia passar e as coisas começarem a se ajeitar, ainda terá um longo caminho para que empresas voltem a crescer, contratar pessoas e acelerar o seu ritmo.

Isso porque a retomada do consumo deve ser gradual, como todas as partes da roda que gira a economia. Por isso, é necessário entender como se recuperar dos efeitos da pandemia.

As empresas devem ter em mente que, mesmo que a pandemia tenha acabado, ainda é preciso tomar cuidado com o financeiro, mantendo sempre uma parte de dinheiro e, caixa para eventuais emergências.

Outra coisa importante que a pandemia nos ensinou é sobre a necessidade de estruturação digital. Vimos ao longo do isolamento que o consumo online aumentou bastante, juntamente como o trabalho remoto, que permitiu que diversas empresas continuassem suas operações mesmo que o funcionário não esteja alocado.

Por isso, ter conhecimento sobre os assuntos de transformação digital nas empresas é absolutamente necessário para repensar o modelo de negócios e perceber o que a empresa pode fazer para se tornar eficiente para enfrentar um mercado pós-pandemia.

 

Conclusão 

Pudemos perceber neste artigo que a pandemia não afeta a economia somente enquanto está instalada, mas também pode causar consequências que se estendem por anos.

O lado positivo de tudo isso é a possibilidade das empresas se reinventarem e construírem uma visão melhor sobre as oportunidades do futuro, percebendo que as necessidades dos consumidores estão mudando, muito por conta também da pandemia.

Gostou de saber as informações sobre como a economia afetará os próximos anos? É importante ter essa perspectiva para saber quais as melhores soluções para sua empresa ou carreira.

Deixe o seu comentário ou dúvida e compartilhe este post nas redes sociais para que os seus amigos entendam também um pouco sobre o assunto.

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: (28) 3521-7726, [email protected].