Segurança

Acusados de assassinar frentista durante trabalho em Cachoeiro são condenados

COMPARTILHE
1832
Advertisement

Foram condenados nesta quinta-feira (24), os acusados de matar o frentista Jucelino da Silva de Oliveira, de 36 anos, em novembro de 2016. O crime aconteceu enquanto a vítima trabalhava em um posto de combustíveis no bairro Aquidaban.

Continua depois da publicidade

Jucelino foi atingido por vários disparos de arma de fogo efetuados por Josué Ângelo de Oliveira, de 29 anos. Ele chegou armado ao local a bordo de uma motocicleta pilotada por Eliseu Souza de Oliveira, 25. Na ação, o criminoso chega no local atirando contra a vítima, que tenta correr, mas é acertada por vários tiros e morre no local.

Foto: Wanderson Amorim

No mês seguinte ao crime, Josué foi preso em uma ação da Polícia Militar e contra ele havia um mandado de prisão pelo homicídio. O frentista foi ameaçado de morte por Josué, que tinha envolvimento com o tráfico de drogas e outros dois homicídios. As vítimas desses homicídios estariam delatando as práticas ilícitas de Josué, sendo Jucelino testemunha de acusação no inquérito contra Josué. O assassino foi preso em 2013 e posto em liberdade me 2016, quando começou a ameaçar a vítima de morte porque ele tinha deposto contra ele. No dia 9 de novembro ele matou Jucelino.

O julgamento desta quinta-feira, quase 4 anos após o crime, foi comandado pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Cachoeiro de Itapemirim. Os acusados foram júri popular. Na decisão, o magistrado ressalta morte por motivo torpe e que ficou evidenciado que o crime foi cometido mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, que foi pega de surpresa em local de trabalho.

Continua depois da publicidade

Após oito horas de júri, Josué Ângelo de Oliveira foi condenado a 21 anos, 7 meses e 6 dias. Ele já é condenado por outros crimes e cumpre pena na Penitenciária Regional de Cachoeiro de Itapemirim. Eliseu Ângelo de Oliveira foi condenado a 21 anos. Ele estava aguardando em liberdade e foi preso ao final do julgamento e encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Cachoeiro (CDP). Júlio Oliveira Freitas, julgado por fornecer a arma usada no crime foi absolvido.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here