Cidades

Em novo Mapa, Guaçuí passa para Risco Baixo na transmissão do coronavírus

COMPARTILHE
557
Advertisement
Advertisement

Nesta segunda-feira (3), entra em vigor o 16º Mapa de Risco Covid-19 do Espírito
Santo e Guaçuí saiu de Risco Moderado para o Risco Baixo. Com isso, vão acontecer
mudanças no funcionamento do comércio e outros serviços na cidade, pelo menos, até o
anúncio do novo mapa. Nos municípios classificados como Risco Baixo, não haverá
mais limitação do horário de funcionamento.

Continua depois da publicidade

No entanto, continuam valendo as atribuições e os deveres do poder público, além das responsabilidades e deveres dos cidadãos e comunidades, assim como as orientações gerais a serem adotadas por estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços, o que vale para qualquer um dos níveis de classificação: baixo, moderado, alto ou extremo.

Então, a partir desta semana, por estar entre as cidades de Risco Baixo, Guaçuí vai
poder voltar ao horário normal de todos os estabelecimentos comerciais e prestadores de
serviços, de segunda a sábado.

Contudo, continuam valendo as determinações previstas na Portaria 100-R, da Secretaria de Estado da Saúde, e decretos municipais, quanto ao que pode e não pode ser feito pelos cidadãos e empresas, mesmo estando neste nível de risco. Este mapa da Matriz de Risco Ajustada passa a valer nesta segunda (3) e segue até o próximo domingo, dia 9.

Continua depois da publicidade

No que diz respeito aos cidadãos, é dever ampliar a higiene de mãos com mais
frequência, higienizar embalagens, limpar os objetos que sejam manuseados, evitar o
contato físico direto com outras pessoas, usar máscara se for preciso sair de casa e
manter o distanciamento de 1,5 metro em filas ou qualquer outro ambiente onde possa
ser mantido esse distanciamento, ou seja, as pessoas devem evitar aglomerações. Diante
de qualquer sintoma gripal, a pessoa deve procurar imediatamente o serviço de saúde,
realizando o isolamento social por 14 dias, caso seja diagnosticada síndrome gripal ou
confirmada a Covid-19.

“As pessoas precisam entender que estar em Risco Baixo, não quer dizer que estamos livres do vírus, ele continua circulando entre nós e os cuidados precisam ser mantidos, por isso, só saia de casa se for necessário e evite aglomerações”, lembra o secretário municipal de Saúde, Werton dos Santos Cardoso.

Desta forma, os empresários e pessoas jurídicas têm que continuar ofertando aos
trabalhadores condições de prevenção de risco de contágio, colocando à disposição
deles equipamentos de proteção individual (EPI), especialmente, no caso de
atendimento ao público. Se possível, deve possibilitar o trabalho à distância (home
office) ou organizar outros horários alternativos, para evitar aglomeração no ambiente
de trabalho, além de afastar imediatamente os trabalhadores que apresentarem sintomas
gripais, obedecendo o tempo de isolamento já citado. Devem também intensificar a
limpeza e higienização das instalações da empresa.

Advertisement
Continua depois da publicidade

A Portaria 100-R também define que, em qualquer um dos níveis de classificação de
risco, os estabelecimentos comerciais e de serviços devem continuar reforçando as boas
práticas e os procedimentos de higienização, bem como garantir as condutas adequadas
de higiene pessoal e o controle de saúde dos colaboradores, e estabelecer medidas de
atendimento seguro ao cliente, a fim de minimizar o risco de transmissão do novo
Coronavírus (COVID-19). Há também um capítulo que orienta o funcionamento das
academias de esportes, seja qual for o nível de risco do município. Desta forma,
continua vedada, em qualquer tipo de academia, a prática de esportes de contato ou
esportes que demandem compartilhamento de materiais ou equipamentos, tais como
lutas, vôlei, basquete e futebol. Essas e outras orientações e determinações podem ser
conferidas na portaria citada.
Riscos

Desde o dia 13 de julho, passou a valer a Matriz de Risco Ajustada que leva em conta o
coeficiente de incidência e a taxa de letalidade dos municípios, além dos dados relativos
às estratégias de cada um deles, no período epidemiológico das últimas 4 semanas, ou
seja, últimos 28 dias.

Desta forma, todas as decisões dentro do mapa de risco, no
Estado, são tomadas seguindo seguem parâmetros técnicos e orientações dos boletins
epidemiológicos do Ministério da Saúde e recomendações da equipe de especialistas do
Centro de Comando e Controle, composto pelo Corpo de Bombeiros Militar do Espírito
Santo (CBMES), Defesa Civil, Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Instituto Jones dos
Santos Neves (IJSN), Ufes e Ifes.

Além de Guaçuí, outros 21 municípios também estão no Risco Baixo: Água Doce do
Norte, Apiacá, Atílio Vivácqua, Barra de São Francisco, Brejetuba, Conceição do Castelo, Dores do Rio Preto, Ibatiba, Irupi, Itarana, Jaguaré, Jerônimo Monteiro, Laranja da Terra, Marilândia, Muniz Freire, Muqui, Pedro Canário, Rio Novo do Sul, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa e Vila Pavão.

Risco Alto

Águia Branca, Anchieta, Baixo Guandu, Bom Jesus do Norte, Colatina, Ibiraçu, Mucurici, Presidente Kennedy, São Gabriel da Palha e Vila Valério.

Risco Moderado

Afonso Cláudio, Alegre, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Aracruz, Boa Esperança, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Castelo, Conceição da Barra, Divino de São Lourenço, Domingos Martins, Ecoporanga, Fundão, Governador Lindenberg, Guarapari, Ibitirama, Iconha, Itaguaçu, Itapemirim, Iúna, João Neiva, Linhares, Mantenópolis, Marataízes, Marechal Floriano, Mimoso do Sul, Montanha, Nova Venécia, Pancas, Pinheiros, Piúma, Ponto Belo, RioBananal, Santa Leopoldina, São Domingos do Norte, São José do Calçado, São Mateus, São Roque do Canaã, Serra, Sooretama, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila
Velha e Vitória.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.