Eleições 2020

Agricultura e turismo estão abandonados, diz pré-candidato à Prefeitura de Vargem Alta

COMPARTILHE
Foto: divulgação
391
Advertisement
Advertisement

“As razões que me levaram a colocar meu nome à disposição é que a população não aguenta mais ver este modelo de administração pública e quer pessoas mais transparentes, ficha limpa, sem rabo preso com velhos políticos, para que possamos fazer um trabalho que o nosso município precisa”, afirma Cristiano Bravin, pré-candidato pelo Prós à Prefeitura de Vargem Alta.

Continua depois da publicidade

Bravin, que nunca trabalhou no serviço público, começou a trabalhar aos sete anos na agricultura, junto com os pais. “Cresci e construí minha vida e minha família aqui. Hoje sou empresário no setor de bebidas e produtor rural, e tenho muito orgulho, pois é a agricultura que sustenta este país. Não sou político de profissão vivo do meu trabalho e quero apenas mostrar que é possível trabalhar honestamente sem autoritarismo junto as pessoas e fazer um bom trabalho pensando no futuro dos jovens e no bem estar de nossa população”.

Como estão as articulações para viabilizar sua candidatura a prefeito?
Temos conversado com outros partidos que têm o mesmo propósito de mudança. Vejo uma chance muito grande de disputamos as eleições desse ano com apoio desses grupos.

Se o seu nome for homologado pela convenção do seu partido, quais as principais propostas que levará ao eleitor?
Construir a sede administrativa do município, com prefeitura e secretarias, para que as pessoas possam ser atendidas em um só lugar. Com isso, vamos economizar o montante de dinheiro gasto desnecessariamente com aluguéis. Investir nos agricultores e no setor de turismo, eles são a maior geração de renda hoje do município e estão abandonados. São muitos os desafios por isso pretendo ter um conselho administrativo municipal para que possamos errar o mínimo e fazer o máximo para atender a população.

Continua depois da publicidade

De onde sairão os recursos para colocar em prática suas propostas?
Perdemos muitos recursos hoje com mercadorias produzidas aqui e guiadas por outros municípios. Temos que trazer essas receitas para o nosso caixa sem cobrar a mais de quem está aqui. Buscaremos parcerias na iniciativa privada para construção de obras específicas.
Apresentaremos projetos consistentes junto aos governos estadual e federal que, vendo a seriedade do trabalho, irão nos atender com os recursos, com certeza.

Qual o perfil ideal do vice para compor sua chapa?

Tem que ser uma pessoa comprometida com o nosso município, ficha limpa e que queira estar atuante na administração. E não apenas para receber o gordo salário sem contribuir para o município.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Como o senhor vê a sua cidade, atualmente?

Vejo nossa cidade com uma população que se esforça, trabalha duro para conquistar seus objetivos, mas que, por outro lado, desanimada com a política. E está à espera de renovação, que só virá com pessoas diferentes, com perfis diferentes, porque com os velhos políticos teremos os mesmos resultados.

Qual será o maior desafio para o próximo gestor, no seu ponto de vista?
Reorganizar a administração e ganhar a confiança das pessoas para que, juntos, possamos transformar nosso município em um lugar para se ter orgulho de viver.

Se eleito, como vai lidar com o poder legislativo?
O nosso Legislativo sempre foi deixado em segundo plano. Quero que ele seja o nosso braço direito na administração porque ali estão as pessoas escolhidas pela população para representá-las.

 

 

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.