Segurança

Homem suspeito de matar jovem em Cachoeiro é preso; acusado é 'tio' da vítima 

COMPARTILHE
7466
Advertisement
Advertisement

A Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira (15), o suspeito de ter asfixiado até a morte a jovem Thayná Eleutério Feuchard, 20 anos, que teve o corpo encontrado às margens do Rio Itapemirim, na localidade de Monte Líbano, em Cachoeiro de Itapemirim, no dia 11 de junho deste ano. O detido é companheiro de uma tia da vítima.

Continua depois da publicidade

Segundo a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), R. O. A, de 27 anos, estava sumido desde que o corpo da menina foi encontrado, e portanto, levantou suspeitas. Ele foi preso no bairro São Lucas, também em Cachoeiro. Tanto ele, quando a menina, moravam no bairro Village da Luz.

Para a polícia, ele negou participação no crime, e até o momento, não há informações sobre a possível motivação. Thayná completaria 21 anos no dia 20 de junho e deixou uma filha de cerca de 2 anos.

O crime

A jovem estava desaparecida desde a terça-feira, 9 de Junho, em Cachoeiro de Itapemirim, e no dia 11 do mesmo mês, foi encontrada morta, na localidade de Monte Líbano.

Continua depois da publicidade

De acordo com a Polícia Militar, o corpo de Thayná foi achado por um morador que acionou a PM após ver o corpo dela boiando às margens do rio. No cadáver da menina, haviam marcas de violência e estrangulamento, o que aponta que a jovem foi morta por asfixia.

De acordo com o delgado Felipe Vivas, titular da DHPP, o laudo pericial que pode apontar uma possível violência sexual ainda não ficou pronto, não sendo possível afirmar se Thayná foi estuprada antes de morrer.

Após interrogatório, o suspeito foi transferido para o Centro de Detenção Provisoria de Canhoeiro de Itapemirim, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Advertisement
Continua depois da publicidade

 

Advertisement

O conteúdo do AQUINOTICIAS.COM é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não é permitida a sua reprodução total ou parcial sob pena de responder judicialmente nas formas da lei. Em caso de dúvidas, entre em contato: [email protected].