Segurança

Carro recuperado em Guaçuí após perseguição pode ajudar a desvendar assassinato em Volta Redonda, RJ

COMPARTILHE
Divulgação PM
1211
Advertisement
Advertisement

Na última sexta-feira (10), policiais militares de Guaçuí recuperaram um carro roubado e conseguiram prender um dos ocupantes que estava no veículo. A história tomou um rumo diferente quando os policiais descobriram que o veículo era de propriedade da família de Renan Júnior Ferreira, de 29 anos, que foi assassinado em Volta Redonda, no Rio de Janeiro. A última vez que Renan foi visto, ele estava com a Saveiro branca.

Continua depois da publicidade

Renan desapareceu no dia 7 de junho e foi visto, pela última vez, dirigindo o carro no bairro Siderlândia, também em Volta Redonda. Uma semana depois do desaparecimento, o corpo do rapaz foi encontrado boiando nas águas do Rio Paraíba do Sul, nas imediações da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). O corpo tinha marcas de tiros.

O veículo que o rapaz dirigia estava desaparecido desde então. E, na última sexta, durante patrulhamento, os militares visualizaram uma Volkswagen Saveiro branca, placa de Volta Redonda/RJ, saindo de uma rua, veículo que havia sido denunciado como sendo roubado.

Quando os militares estavam se aproximando para conferir a placa, viram dois homens dentro e, após ordem de parada, o carona levantou a mão direita com uma arma em punho, direcionando aos militares, momento que foi revidado pela Polícia Militar a agressão, com dois disparos.

Continua depois da publicidade

Um dos tiros atingiu um dos pneus e o motorista deu ré no veículo em alta velocidade e fugiu do local. Uma perseguição foi iniciada e os militares solicitaram apoio via rádio, informando que o veículo estava em alta velocidade, colocando em risco a vida de várias crianças que estava em uma praça e demais pessoas na rua.

O veículo percorreu várias ruas e bairros, sendo acompanhado pelos militares e, em virtude de um dos pneus ter estourado, antes mesmo do veículo parar totalmente, os dois homens desceram do carro, sendo o carona com uma arma em mão, e adentraram em um beco.

Os militares perseguiram os suspeitos a pé pelo beco e, com apoio de outras viaturas que chegaram, conseguiram deter um deles, que era o motorista. O segundo suspeito correu para um matagal, atrás da AABB da cidade. De acordo com a PM, por ser um local amplo e que contém várias casas, não foi possível localizá-lo.

Advertisement
Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.