Cidades

Agricultura de Guaçuí oferece assistência técnica a produtores durante todo o ano

COMPARTILHE
Divulgação PMG
82
Advertisement
Advertisement

A Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento Alimentar (Semag) de Guaçuí, além de cuidar da infraestrutura das estradas vicinais da zona rural, orientar e acompanhar a produção da agroindústria (Serviço de Inspeção Municipal – SIM) e oferecer desconto no frete de saibro para a construção de terreiros de cimento, também realiza o trabalho de assistência técnica aos produtores. Dentro do programa “Ação no Campo”, esse trabalho visa a melhoria da produção nos vários setores da atividade agropecuária do município.

Continua depois da publicidade

A assistência técnica conta com o engenheiro agrônomo, Gustavo Moreira, e o veterinário Marcelo Martins Gomes Coelho, ambos da Semag, que atuam no atendimento a vários produtores. Este é o caso da produtora Rosi Bodevan, de São Pedro de Rates, onde o trabalho na lavoura de café começou no início de 2019 e segue até os dia atuais. “Além do manejo da nutrição, fazemos a indicação dos defensivos para o manejo de pragas e doenças que infestam as lavouras da nossa região”, explica Gustavo Moreira.

Já na lavoura de café, do produtor José Reis, o trabalho foi iniciado, agora, no mês de junho, ou seja, está sendo feito o planejamento para o próximo ano, após a colheita, e sendo dadas as informações sobre os cuidados que devem ser tomados durante essa colheita para não danificar as plantas. “Também orientamos sobre a importância de evitar, ao máximo, deixar grãos de café remanescentes nas plantas, para evitar o surto da broca do café”, destaca o engenheiro agrônomo. “E orientamos sobre a secagem dos grãos que estão sendo colhidos, para produzir café de qualidade”, completa.

Capineira

Continua depois da publicidade

Outro trabalho de assistência técnica acontece na propriedade Córrego das Pedras, dos produtores José Virgílio de Faria e, seu filho, Leonardo Faria, na localidade de Fazenda Aparecida, distrito de São Tiago, onde está sendo desenvolvida orientação da adubação, manejo e condução de forrageiras, para a nutrição do gado, além do acompanhamento ginecológico e sanitário dos animais. “Esse produtor está plantando uma variedade nova de capim elefante (BRS Capiaçu), com alto rendimento e muito nutritivo”, explica Gustavo Moreira.

Essa assistência começou na primeira semana de maio deste ano, onde os produtores estavam com problemas para produzir forragem em quantidade e qualidade para os animais, nesta época do ano, com o final da estação das chuvas em abundância e temperaturas baixas, o que limita o desenvolvimento das plantas, combinado com o baixo preço do leite, o que resulta num quadro que quase inviabiliza a produção. “Então, fizemos uma coleta de informações sobre o que estava ao alcance deles e o que já tinham feito de adubação na capineira, usando como base a experiencia com trabalhos anteriores, para conseguirmos indicar um fertilizante com boa relação custo/benefício e alcançarmos um bom desenvolvimento da capineira”, contar Gustavo. “Conseguimos também mudas de capim novo desenvolvido pela Embrapa”, complementa.

Apesar das limitações climáticas, a nova capineira mostrou um bom desenvolvimento, o que resulta num aumento do volumoso, o que é importante para a alimentação dos animais, como explica o veterinário, Marcelo Coelho. “Esse bom resultado com a capineira é muito importante, porque eles precisam aumentar a quantidade de volumoso para o próximo ano, em virtude do crescimento do plantel de vacas”, afirma.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Milho

Também está sendo feito o mesmo serviço no milharal do produtor Geraldo Mendonça, na Fazenda Santa Catarina. A assistência técnica começou em 2019, indicando o tipo e dosagem do adubo a ser aplicado no plantio e cobertura, além de auxiliar na época da colheita do milho, para produzir uma silagem de qualidade, visando a alimentação de gado leiteiro. “Nesse milharal, também acompanhamos e orientamos quanto à adubação e manejo da cultura, além de auxiliar na produção da silagem”, explica Gustavo. “Mostramos a importância de fazer silagem de milho e capim, que se trata de armazenar comida, destacando as consequências da má alimentação na vida reprodutiva dos animais”, completa Marcelo.

Os profissionais toda Semag ainda passam informações aos produtores sobre a importância da suplementação do gado leiteiro, com rações balanceadas e sal mineral, em quantidades diárias suficientes, de acordo com as exigências dos animais lactantes e não lactantes. “Passamos informações, também, sobre o manejo do carrapato e suas consequências, já que é causador de doenças, além de vacinação, cuidados na hora da ordenha e problemas ginecológicos dos animais”, acrescenta o veterinário.

Análise de solo

Eles também destacam que o trabalho com as culturas (café, capim e milho) sempre começa com a retirada da amostra de solo, para análise química. Esta análise é que vai indicar a acidez do solo, para aplicação ou não de calcário, o tipo de calcário e a quantidade a ser usada. “Além de corrigir a acidez, ele fornece também cálcio e magnésio”, informa Gustavo. “A análise de solo nos fornece, ainda, a quantidade e o tipo do formulado (adubo) a ser usado no plantio e em  cobertura, para o desenvolvimento da planta, buscando obter grandes produtividades, ou até mesmo, para nos auxiliar a indicar um adubo mais em conta e que atenda a planta e o produtor, ou seja, custo/benefício”, conclui.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.