Cidades

Junho Violeta: Guaçuí no combate à violência contra a pessoa idosa

COMPARTILHE
264
Advertisement
Advertisement

Os casos de violência doméstica têm crescido durante este período de isolamento devido à pandemia do novo coronavírus. Mas este tipo de violência não atinge apenas mulheres – que são as vítimas na maioria dos casos –, mas também as pessoas idosas que estão isoladas em casa, onde acontecem a maior parte das agressões.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Contudo, muito antes disso, a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Rede Internacional de Prevenção à Violência Contra à Pessoa Idosa instituíram o dia 15 de junho como o Dia Mundial da Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, para conscientizar a população sobre essa violação dos direitos humanos.

E com a instituição da data, este mês passou a ser chamado de Junho Violeta, quando são disseminadas ações para a valorização das pessoas idosas, combate à discriminação e a violência contra essas pessoas que, muitas vezes, se encontram em situação de vulnerabilidade. Ações que também acontecem em Guaçuí, por iniciativa da Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), que é ligado à Secretaria Municipal de Assistência Social, Direitos Humanos, Trabalho e Renda (Semasdh).

Como a pandemia impede ações em praça pública, o Creas está divulgando uma série de peças publicitárias, preparadas pelo Setor de Comunicação da Prefeitura de Guaçuí, chamando a atenção para o combate à violência contra a pessoa idosa. “As mensagens ficaram muito bonitas e estamos publicando uma em cada dia da semana, começando nesta segunda (15), e chamam atenção, principalmente, para o respeito ao idoso, aos seus direitos, porque o maior problema é a falta de respeito e a negligência com a pessoa idosa”, destaca a coordenadora do Creas, Marcela Polido. “Pessoa idosa que acaba sendo excluída das atividades da sociedade que vê o envelhecimento como algo ruim”, completa.

Continua depois da publicidade

Segundo o Estatuto do Idoso, Lei 10.741/2003, colocar em risco a vida ou a saúde do idoso, por meio de condições degradantes ou privação de alimentos ou cuidados indispensáveis, é crime. Por isso, além das mensagens, as peças publicitárias sobre o Junho Violeta, do Creas de Guaçuí, também trazem telefones que podem ser utilizados pela comunidade para denunciar qualquer caso de violência contra pessoas idosas de que tenha conhecimento. Além do Dique 100 – já divulgado na campanha nacional para esses casos e que funciona 24 horas – e do 190, da Polícia Militar, o cidadão de Guaçuí também pode ligar para o telefone (28) 3553-1861. Destacando que identidade do denunciante é preservada. E nesta época de pandemia, o Disque 100 também está recebendo ligações de pessoas idosas que vivem sozinhas e sentem-se mais ansiosas ou têm alguma dificuldade ou desamparo.

De acordo com dados do Governo Federal, mesmo com a instituição do Estatuto do Idosos, os números de denúncias de violações contra idosos tem aumentado de um ano para o outro, numa média de 13%, mesmo sabendo que os números não contam aqueles casos que não são denunciados. E muitas dessas não denúncias acontecem porque as pessoas não entendem que a violência contra idosos pode ser definida como qualquer ato, ou ainda a ausência de uma ação (omissão), que cause danos ou incômodo à pessoa idosa. Estão entre os casos mais comuns os abusos psicológicos, abusos financeiros, negligência, abusos físicos e os abusos sexuais.

Advertisement
Advertisement
Receba as principais notícias do dia no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta clicar aqui.