Espírito Santo

Espírito Santo registra queda nos casos de dengue; cuidados devem continuar

COMPARTILHE
Divulgação Fiocruz
165
Advertisement
Advertisement

O ano de 2020 está sendo diferente em relação aos casos de dengue em todo o Espírito Santo. Neste primeiro semestre, foram notificados 39.827 casos da doença. Isso representa 16.437 notificações a menos em relação ao mesmo período de 2019, quando foram registrados 56.264 casos. Os dados são do último boletim epidemiológico divulgado, nesta quinta-feira (25), pela Secretaria da Saúde (Sesa).

Deputados criticam decisão do TJES que suspende lei de desconto em mensalidade escolar

A decisão do desembargador Jorge Henrique Valle dos Santos de suspender os efeitos da Lei...

Governo do ES lança Edital de Chamamento Público para eventos culturais virtuais e semipresenciais

O Governo do Estado lançou, nesta segunda-feira (06), o Edital de Chamamento para Eventos...

Governador do ES faz pronunciamento nesta sexta; acompanhe

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, realiza pronunciamento em redes sociais nesta sexta-feira...

De acordo com o chefe do Núcleo Especial de Vigilância Ambiental, Roberto Laperriere Júnior, um dos fatores que influenciam nesse resultado é a diminuição da temperatura, que tende a cair ainda mais durante o inverno. Nesse período, além da redução da circulação doAedes aegypti (transmissor da dengue, zika e chikungunya), as pessoas também utilizam roupas que cobrem mais o corpo, ficando menos expostas às picadas do vetor.

“As arboviroses são multifatoriais. Mas, um fator que influencia na queda de casos é a temperatura. Este ano, percebemos que o clima está mais ameno, com o frio chegando mais cedo do que no ano passado. Dessa forma, o vetor fica menos ativo e o cidadão passa a utilizar roupas mais cobertas, estando menos exposto ao mosquito”, disse Laperriere Júnior.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Segundo ele, a diminuição dos casos também é observada no diagrama de controle, um instrumento epidemiológico que é utilizado para compreender a dinâmica da doença e traçar o seu prognóstico. Ainda de acordo com o especialista, é importante que os cuidados para evitar a proliferação do Aedes aegypti continuem sendo intensificados. “Isso para que não haja aumento dos casos a partir de setembro, quando inicia o período sazonal da dengue”, explica.

 

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.