Economia

Correção: Governo pretende distribuir as 2 novas parcelas de auxílio em 4 etapas

COMPARTILHE
20
Advertisement
Advertisement

Att. Srs. Assinantes:

Fazenda/RJ confirma que Conselho aceitou compensações financeiras propostas

A Secretaria de Estado de Fazenda do Rio confirmou em nota que o Conselho...

BTG abre linha de microcrédito para empreendedores, a partir de R$ 500

Mesmo que bilhões de reais tenham sido injetados na economia brasileira para mitigar os...

Itaipu fecha 1º semestre com produtividade

A hidrelétrica Itaipu Binacional fechou o primeiro semestre de 2020 com produtividade recorde de...

A nota publicada anteriormente continha uma incorreção no segundo parágrafo. As novas parcelas serão pagas nos meses de julho e agosto, e não como constava. Segue texto corrigido:

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira, 30, que o governo pretende distribuir as duas novas parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial em quatro etapas para garantir renda aos trabalhadores informais durante um cenário de “crise mais extensa” devido à pandemia do novo coronavírus.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

Segundo Guedes, a divisão das parcelas será uma “aterrissagem inteligente”. De acordo com ele, a ideia é que no início de julho sejam pagos R$ 500; outros R$ 100 no final do mês; em agosto, serão depositados mais R$ 300 no início do mês e outros R$ 300 no final.

O ministro falou, ainda, que o governo está “fazendo o possível” para lidar com a crise econômica e social gerada pela covid-19, mas admitiu que “evidentemente que saímos do trilho”. “O ano de 2020 foi de despesa extraordinária, mas não há problema, os mercados compreendem”, justificou.

Guedes também anunciou que a equipe econômica está desenhando “medidas de saída da crise” e que nos próximos três meses vai trabalhar para estimular investimentos e empregos. “Nos próximos dois a três meses lançaremos medidas de apoio ao emprego”, afirmou.

No discurso, Guedes rebateu críticas de que o governo foi omisso no combate à covid-19. “As linhas de ataque ao coronavírus que adotamos envolveram várias iniciativas, a primeira e mais importante foi o auxílio emergencial que estamos prorrogando nesse momento”, disse.

No evento, o presidente Jair Bolsonaro chegou acompanhado dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Julia Lindner, Eduardo Rodrigues e Idiana Tomazelli
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.