Geral

Brasil registra 904 mortes por coronavírus em 24h; total vai a 35.930 óbitos

COMPARTILHE
17
Advertisement
Advertisement

O Brasil contabilizou 904 novas mortes causadas pela covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total de vidas perdidas pela doença para 35.930, segundo o Ministério da Saúde. Da sexta-feira, 5, para este sábado, 6, houve registro de 27.075 novos casos de infecção pelo novo coronavírus e agora são 672.846 pessoas contaminadas, sendo registrados mais de 100 mil novos casos em menos de uma semana.

Corpo de jovem que estava desaparecida é encontrado em trilha de São Sebastião

Os bombeiros localizaram nesta segunda-feira, 6, o corpo de Julia Rosenberg, de 21 anos,...

Em 2 meses, 265 mil alunos abandonam cursos em universidades particulares

As universidades particulares perderam 265 mil estudantes - que abandonaram o curso ou trancaram...

Universidade brasileira relata tratamento que elimina HIV de paciente

Pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) realizaram um estudo em escala global...

A escalada de vítimas ocorre em meio a anúncios de planos de flexibilização da quarentena por Estados e municípios, o que tem sido visto com ressalvas por especialistas.

O Brasil está atrás só dos Estados Unidos (109.791) e do Reino Unido (40.548) em óbitos por covid-19.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

Países que já viveram o agravamento da pandemia só começaram a relaxar restrições de circulação ao menos um mês depois do pico. EUA, Reino Unido, Itália, França e Espanha esperaram, em média, 44 dias após o pico para flexibilizar quarentenas, como mostrou o jornal O Estado de S. Paulo.

A projeção do avanço do coronavírus no Brasil feita pela Universidade de Washington foi atualizada pela segunda vez, e agora prevê 165,9 mil mortes causadas pela covid-19 no País até 4 de agosto.

A primeira estimativa para o Brasil, feita em 12 de maio, projetava 88 mil mortes. O dado foi alterado para 125,8 mil mortes no último dia 25 e novamente revisado neste sábado, dia 6.

Especialistas criticam recontagem de óbitos pelo governo

Enquanto o governo federal pretende rever os critérios das mortes por coronavírus por indícios de que os dados estariam sendo supostamente inflacionados por municípios e Estados, como afirmou o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Wizard, neste sábado, os cientistas afirmam exatamente o oposto.

Para virologistas e epidemiologistas, o número de vítimas no País é muito maior do que indicam os dados oficiais. Especialistas também veem na mudança de metodologia de divulgação do Ministério da Saúde uma manobra para se criar falsa sensação de controle da doença.

Nas contas de Domingos Alves, coordenador do Laboratório de Inteligência em Saúde (LIS) da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP), o número de mortes no Brasil seria 40% maior e estariam perto de 49 mil óbitos.

“Numa estimativa até simplória, nós mostramos que os óbitos mostrados nos boletins envolvem no máximo 60% do total. E nós procuramos não ser alarmistas”, diz Alves, que integra a equipe Covid-19 Brasil, formada por cientistas independentes de várias instituições brasileiras de pesquisa que monitoram em tempo real dos dados sobre a propagação do vírus.

Dados incompletos do coronavírus no Brasil

Depois de retirar do ar por um dia o site que mantinha sobre informações detalhadas a respeito a covid-19, o Ministério da Saúde atualizou a página na internet com informações básicas.

O site traz apenas as informações sobre os casos de pessoas recuperadas da doença, os casos de novas contaminações e os óbitos. Todas as demais informações históricas da doença no País foram omitidas da população.

Referência em estatísticas globais da pandemia da covid-19, a Universidade Johns Hopkins deixou de usar os dados do Brasil, por algumas horas na tarde deste sábado. Os dados deixaram de aparecer após o portal oficial sobre a pandemia deixar de divulgar o número total de casos confirmados e óbitos pela doença no País. Mais tarde, os dados do Brasil voltaram a aparecer na plataforma.

Redação, O Estado de S.Paulo
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.