Política Nacional

Hospital de campanha inaugurado por Bolsonaro é entregue com 1 mês de atraso

COMPARTILHE
11
Advertisement
Advertisement

O hospital de campanha inaugurado nesta sexta-feira, 5, pelo presidente Jair Bolsonaro em Águas Lindas de Goiás foi entregue com um mês de atraso. Destinado a atender pacientes da covid-19 de Goiás e do Distrito Federal, a estrutura até ficou pronta no final de abril, mas só receberá pacientes a partir desta sexta-feira, 5.

Em entrevista, Bolsonaro afirma que está muito bem e que fará PCR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que "está muito bem" de saúde, apesar da febre...

Lava Jato mira em Paulinho da Força por caixa 2 e lavagem de dinheiro

A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Eleitoral deflagraram na manhã desta terça-feira,...

Autonomia e lista tríplice para diretor dividem PF

Diante da investigação de interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal e de...

O governo federal foi responsável pela construção. A administração estadual, por sua vez, ficará com a operação da unidade, instalação de equipamentos e atendimento a pacientes. A administração do governador Ronaldo Caiado (DEM), aliado de Bolsonaro e anfitrião da cerimônia de inauguração, alega que o atraso ocorreu porque a União só transferiu a gestão do hospital ao governo de Goiás na semana passada.

O hospital de campanha em Águas Linda é o primeiro montado pelo governo federal para atender exclusivamente pacientes de covid-19.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

A capacidade é para 200 leitos. Inicialmente, porém, serão utilizados 60, sendo 40 leitos de enfermaria e 120 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). A quantidade de leitos pode aumentar conforme a demanda, de acordo com as autoridades locais.

A instalação foi calculada em R$ 10 milhões com recursos federais. A administração estadual prevê gastar R$ 30,7 milhões por seis meses para manter a estrutura funcionando com equipamentos e profissionais.

Em resposta ao Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), a assessoria do governo de Goiás afirmou que o atraso ocorreu porque o governo federal só entregou a estrutura pronta para a administração estadual na semana passada, quando os equipamentos começaram a ser disponibilizados. Até então, os pacientes que precisaram de internação foram direcionados para Brasília, Goiânia ou para o hospital de campanha de Luziânia (GO).

A prefeitura de Águas Lindas havia manifestado preocupação com o atraso. A cidade registrou 269 casos do novo coronavírus até quinta-feira, 4.

Nesta sexta, o número de óbitos chegou a sete. Após a cerimônia de inauguração e com elogios a Bolsonaro, porém, o prefeito Hildo do Candango (PTB) minimizou o atraso. Ele afirmou que a “burocracia” impactou na programação e que não houve prejuízo a pacientes.

O Ministério da Saúde e o Ministério da Infraestrutura foram questionados pela reportagem sobre a situação, mas ainda não se manifestaram.

Daniel Weterman
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.