Economia

Meta é incluir informais no mercado formal no pós-pandemia, diz secretário

COMPARTILHE
10
Advertisement
Advertisement

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, afirmou nesta quinta-feira, 4, que o governo federal estuda como incluir no mercado formal a população de trabalhadores informais que precisou recorrer ao governo federal para receber o auxílio emergencial de R$ 600, pago também a autônomos, microempreendedores e desempregados que ficaram sem renda durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo o secretário, esse é um debate já feito pelos ministérios, considerando o cenário do pós-pandemia.

MP da aviação: Câmara conclui votação e texto segue para o Senado

A Câmara concluiu a votação da Medida Provisória (925) e o texto segue agora...

Senado aprova prioridade para mulher chefe de família em auxílio emergencial

Att. Srs. Assinantes:A matéria publicada anteriormente estava com o título incorreto. O projeto foi...

Câmara aprova prioridade para mulher chefe de família em auxílio emergencial

Os senadores aprovaram nesta quarta feira, 8, projeto de lei que prioriza as mães...

Bianco, que participou de webinário promovido pelo Tribunal de Contas da União (TCU), se reservou a falar do tema em linhas gerais, sem detalhamentos.

Ele explicou, por sua vez, que o mapeamento feito desse público em razão da concessão do auxílio possibilita ao Executivo estudar políticas para trazer os informais ao mercado formal.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

“Nossa meta é incluir essas pessoas no mercado formal, para que eles possam se sustentar prioritariamente por meio de seu trabalho. Com a premissa básica de que, caso eles não consigam, o Estado vai continuar ali para protegê-los”, disse Bianco.

Também presente no seminário, o secretário-executivo do Ministério da Cidadania, Antônio Barreto, afirmou que o governo se debruça sobre a questão no momento. “Estamos trabalhando juntos agora, para que a gente consiga ao final da pandemia fazer essa conexão entre rede de proteção e a conexão com o emprego”, disse.

Para ele, se essa conexão não for possível, o Brasil será colocado numa “situação de fragilidade econômica de longo prazo”.

Amanda Pupo
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.