Esporte Nacional

Votação do congelamento do Profut é adiada e redução da rescisão é retirada

COMPARTILHE
10
Advertisement
Advertisement

A votação na Câmara dos Deputados do projeto de lei que previa o congelamento do Profut durante o período de calamidade pública, em função da crise do coronavírus, e que incluía artigos que permitiriam a redução em 50% do valor da cláusula compensatória dos jogadores, o acerto pago em rescisões contratuais unilaterais, foi adiada, após forte pressão de atletas e deputados da oposição, que afirmam que os artigos foram retirados.

Livre da covid, Cazares treina no Atlético-MG após prestar depoimento na polícia

Após mais de um mês afastado dos treinos por ter adquirido a covid-19, o...

Barcelona anuncia vitória milionária nos tribunais pela negociação de Neymar

O Barcelona, anunciou, nesta terça-feira, que a Corte Arbitral do Esporte (CAS, sigla em...

Times paulistas voltam a treinar com bola, mas seguem em alerta na pandemia

Testagens periódicas, controle da temperatura corporal e cautela. Essa foi a solução encontrada para...

Não houve votação porque a redação final do projeto não foi entregue pelo relator Marcelo Aro (PP-MG). A proposta inicial, do projeto de autoria do deputado Arthur Maia (DEM-BA), era de que, em caso de rescisão contratual, as equipes poderiam ressarcir o atleta com metade do valor dos salários restantes, com pagamentos divididos em parcelas. A medida só valeria para quem recebe a partir de R$ 12 mil mensais.

Mas os artigos 5º e 6º do Projeto de Lei 2125/20, que previam a subtração desses direitos, foram retirados do texto, o que foi celebrado pela Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf).

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

“Importante reafirmar que a categoria insiste em tratar de temas referentes aos contratos de trabalho em momento adequado, com amplo debate e sem açodamento. Importante termos sido ouvidos pelos, Autor e Relator do PL, as manifestações dos sindicatos e dos atletas foram fundamentais para convencermos que uma melhor redação que beneficie o futebol brasileiro como um todo será melhor debatida num momento futuro”, afirma.

O teor do texto de Aro ainda é desconhecido, mas não deve mais versar sobre essas questões trabalhistas. A principal polêmica envolve a forma de parcelamento do pagamento do Profut após o encerramento do período de congelamento.

Satisfeita com a retirada dos artigos, a Fenapaf agradeceu o apoio recebido pelos atletas dos parlamentares. “Agradecemos aos parlamentares que entraram conosco nessa discussão e, especialmente, o apoio irrestrito que a categoria teve do não menos ilustre deputado Danrlei de Deus, craque dentro e fora dos campos, não poderia ser diferente”, concluiu, em seu comunicado.

Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.