Coronavírus

"Se o país colapsar, o ES vai colapsar junto", diz secretário de Saúde

COMPARTILHE
786
Advertisement
Advertisement

Em coletiva virtual na manhã desta terça-feira (5), o secretário de Estado de Saúde do Espírito Santo, Nésio Fernandes, atualizou a população capixaba sobre as ações da pasta em relação ao combate à covid-19.

Continua depois da publicidade

De acordo com o secretário o “Espírito Santo acertou na estratégia” ao se referir a capacidade de testagem do Estado. Hoje, o ES é o único estado com laboratório público a entregar resultados da testagem em curto tempo, tendo em média, entre a coleta e o resultado, 48h.

Ainda segundo Fernandes, para ter um resultado robusto, o Estado realizou “operações silenciosas”, como designar equipes para buscar em outros estados, testes rápidos e matéria prima para que os laboratórios não interrompessem os trabalhos.

“Se o país colapsar, o Estado vai colapsar junto”

Nésio classificou a boa atuação do governo no combate ao coronavírus como adequada e mesmo na contramão do país, alertou para um possível colapso.

Continua depois da publicidade

“Acertamos na escolha dos hospitais de primeira linha no combate à covid, nosso tempo de permanência de pacientes contaminados na UTI é de 5,7 dias, enquanto a média nacional é de 16 dias. A letalidade em relação a pacientes de UTI no ES é de 20%, enquanto no Brasil, a taxa é de 36%. Mas precisamos de um ‘novo normal’, um novo rumo, se o país colapsar, o Estado vai colapsar junto”.

“Só o distanciamento social rompe a cadeia de contaminação”

Fernandes afirmou que estamos “enfrentando o mês crítico” em relação à contaminação por coronavírus. E que os números apontam para crescimento de óbitos pela doença e aumento no número de infectados e que só o distanciamento social pode romper a possível estatística. “É necessário romper o contato, só assim vamos evitar o aumento dos casos. Nossa preocupação não é só ter leitos de UTI para pacientes graves, é salvar vidas. Estamos no Sudeste, uma das regiões com mais casos da doença”.

“Estratégia nacional precisa ser ajustada”

Ainda de acordo com Nésio, ter bom desempenho na crise não garante vitória sobre a pandemia. “A estratégia nacional precisa ser ajustada. Precisamos proteger vidas. Nosso estado hoje, testa qualquer pessoa com síndrome gripal. Isso vai contra a realidade do país, que testa somente pacientes graves. Já testamos mais de 15 mil capixabas, destes, mais de 3 mil foram positivados para o vírus”.

Advertisement

Testagem Ampliada

Continua depois da publicidade

Nos próximos dias, segundo o secretário, o estado vai iniciar a testagem ampliada e domiciliar em 27 municípios do ES. “A intenção é de que um representante de cada família seja testado para saber se teve contato com a covid-19. E diante do resultado, ser iniciada uma investigação. Essa é uma estratégia para saber como a pandemia está se comportando no nosso Estado”.

Leitos e implantação de tendas em Pronto Atendimentos

Até o final de maio, Nésio garantiu que o Espírito Santo terá 1300 leitos de UTI espalhados pelo território capixaba em hospitais filantrópicos, públicos e redes particulares.

Atualmente, o Estado tem 69% dos leitos de UTI destinados para pacientes com a covid-19 ocupados.

Além disso, a Secretaria de Saúde estuda a implementação de tendas para receber infectados nas unidades de pronto atendimentos, evitando que estes pacientes se misturem com os demais.

Hospital de Campanha

Segundo Nésio, a estratégia do Estado é ampliar as redes que já existem, mas em caso de aumento de demanda, é possível que um hospital de campanha seja construído no ES.

“Continua sendo uma alternativa, mas a estratégia é expandir leitos nos hospitais que já existem. Um hospital construído da noite para o dia não garante a mesma qualidade e capacidade de atendimento”.

Lockdown é cogitado no ES

O chamado lockdonw, pode ocorrer no Estado, segundo o secretário. A medida que funciona como um protocolo de emergência em que é proibida a circulação de pessoas na rua e todo o comercio é fechado, onde somente farmácias e superados podem funcionar.

“Se houver colapso simultâneo, não teremos alternativa, principalmente na Grande Vitória, onde estão concentrados o maior número de casos. Pode ser necessário. Não queremos tomar essa decisão radical, para isso contamos com a responsabilidade de população em só sair de casa em caso importante”.

Hotéis para profissionais da saúde

“Estamos finalizando os contatos para que isso ocorra em breve, essa é uma medida para preservar a família de quem está na linha de frente no combate à covid, evitando que os profissionais se contaminem e acabem infectando a família”, finalizou.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.