Esporte Nacional

Grupo de conselheiros questiona Andrés por operação sobre venda de Pedrinho

COMPARTILHE
15
Advertisement
Advertisement

Um grupo de conselheiros de oposição do Corinthians, denominado “Frente Liberdade Corinthiana”, divulgou um documento em que questiona o presidente Andrés Sanchez sobre a operação realizada para o clube receber o valor integral da venda do meia-atacante Pedrinho ao Benfica.

Times paulistas voltam a treinar com bola, mas seguem em alerta na pandemia

Testagens periódicas, controle da temperatura corporal e cautela. Essa foi a solução encontrada para...

Trio testa negativo e é liberado para retomar treinos na Ponte Preta

Após realização de exames médicos na última segunda-feira, três jogadores da Ponte Preta estão...

Na véspera da final, Bruno Henrique torce pela permanência de Jorge Jesus no Fla

Na véspera de poder conquistar mais dois troféus, o da Taça Rio e o...

O Corinthians negociou o jogador com a equipe portuguesa por 20 milhões de euros (aproximadamente R$ 120 milhões, na cotação atual), sendo que era detentor de 70% dos direitos econômicos do jogador – os outros 30% eram de Will Dantas, empresário do atleta – e o pagamento se daria em quatro parcelas.

Na sua nota, a Frente Liberdade Corinthiana faz uma série de perguntas, entre elas se “foi pedida autorização do CORI para a realização dessas operações financeiras”, se “a vinda de Yony González está ou não atrelada à venda de Pedrinho”, “quais os valores exatos envolvidos em todas as operações financeiras relacionadas ao atleta Pedrinho, incluindo custos da operação e despesas diversas” e “quais os detalhes de cada uma das operações”.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

O grupo também questiona o relacionamento do Corinthians com Will Dantas: “Quanto o Corinthians deve ao empresário de Pedrinho? Que tipo de acordo foi feito com o empresário de Pedrinho? E quais os termos desse acordo?”.

“Soa muito estranho esse pedido de antecipação total de valores da venda de Pedrinho feita de forma intempestiva e sem qualquer comunicação aos Conselhos e Conselheiros do Clube. Tudo isso exige explicações detalhadas. Uma operação desse vulto deve passar pela aprovação ao menos do CORI; porém, não existem informações se a autorização foi ou não solicitada”, afirma trecho do documento.

Em grave crise financeira – terminou 2019 com dívida de R$ 665 milhões – e ainda sofrendo com a queda nas receitas em função da paralisação do futebol por causa da pandemia do coronavírus, o Corinthians fechou dois acordos envolvendo a transação de Pedrinho. Em acerto com um banco europeu, vai receber o valor das quatro parcelas de uma vez. E só precisará passar a parte destinada a Will Dantas em 2021.

Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.