Economia

Somando parcelas 1 e 2 do auxílio-emergencial, Caixa diz ter pago R$ 60 bi

COMPARTILHE
80
Advertisement
Advertisement

A Caixa já pagou R$ 60 bilhões a beneficiários do programa de auxílio-emergencial do governo federal, disse neste sábado, 23, o presidente do banco, Pedro Guimarães. O valor representa a soma da primeira e da segunda parcelas do benefício. Apenas neste sábado, 22, foram pagos R$ 3,4 bilhões.

Setor público dos EUA cortou mais de 1,5 milhão de empregos desde março

Os governos federal, estadual e local dos Estados Unidos cortaram mais de 1,5 milhão...

Opep: corte de produção deve seguir ao menos até julho

Os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) discutem...

Para analistas, melhora do mercado no País é 'disfuncional'

Apesar de o Brasil ser motivo de preocupação quanto ao avanço de novos casos...

Em entrevista coletiva virtual, Guimarães defendeu que o banco está avançando nos pagamentos pela internet, o que tem ajudado a conter filas nas agências.

“Só hoje, pagamos 2,1 milhões de pessoas em espécie, enquanto 5,2 milhões de brasileiros receberam o depósito por via digital”, informou o presidente da Caixa.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

Assim, no total, 7,3 milhões de pessoas receberam o auxílio-emergencial neste sábado.

Ao longo dos seis dias desta semana, foram 35 milhões de beneficiários, novo recorde do programa.

Ainda de acordo com Pedro Guimarães, mais 59 milhões de cidadãos foram considerados elegíveis para receber o benefício ao longo da próxima semana, com saques distribuídos entre segunda e sexta-feira.

Por outro lado, 10 milhões de pessoas seguem aguardando análise do banco para ter acesso ao benefício.

Comemoração

O presidente da Caixa comemorou os pagamentos feitos nos últimos dias do auxílio emergencial de R$ 600. “Tivemos uma semana histórica. Mais de 35 milhões receberam seu auxílio, algo sem precedente no Brasil. Também apresentamos um resultado forte”, afirmou Guimarães.

No primeiro trimestre, o lucro líquido recorrente do banco somou R$ 3 bilhões, ficando 7,5% aquém do visto em igual período de 2019. Contudo, no confronto com os três primeiros meses de 2019, houve crescimento de 21,5%.

Guimarães lembrou que, no ano passado, a Caixa fez pagamentos a 60 milhões de pessoas por meio do saque imediato do FGTS, medida adotada a fim de impulsionar a atividade econômica naquela ocasião. “Tivemos dois meses para nos preparar e seis para fazermos o pagamento. Agora, pagaremos 60 milhões durante três meses, tendo dois dias para nos preparar. Isso demonstra a força da Caixa e o compromisso do banco com o Brasil, em especial com o cidadão carente”, disse.

O presidente da Caixa afirmou estar “orgulhoso”, pois 30 milhões de brasileiros que não tinham acesso ao programa de ajuda estão sendo assistidos neste momento de crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

O vice-presidente de Tecnologia e Digital da Caixa, Cláudio Salituro, reforçou a importância dos pagamentos por meio digitais, voltando a afirmar que em breve os clientes terão novidades na parte tecnológica. “Estamos melhorando o aplicativo, pois tudo foi feito de forma rápida, e temos a certeza de que o perfil do cidadão brasileiro, do cliente da Caixa, está mudando, está sendo digital. Em breve, virão novidades”, disse.

Também participou da entrevista a vice-presidente do banco, Tatiana Thomé.

Eduardo Gayer e Maria Regina Silva
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.