Internacional

Premiê britânico é internado por causa de sintomas do coronavírus

COMPARTILHE
11
Advertisement
Advertisement

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, foi internado neste domingo para ser submetido a exames, de acordo com a versão oficial. Segundo Downing Street, trata-se de uma medida preventiva, já que ele tem apresentado persistentes sintomas da covid-19 dez dias depois de testar positivo para o vírus.

Secretário de Defesa dos EUA se opõe ao uso de militares para reprimir protestos

Contrariando o presidente Donald Trump, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Mark Esper,...

China nega que tenha atrasado liberação de informações sobre covid-19 à OMS

O governo da China negou que tenha atrasado, de forma proposital, a entrega de...

Suécia reconhece erros em não adotar lockdown no combate ao coronavírus

O responsável pela estratégia da Suécia no combate ao coronavírus admitiu que o país...

Boris Johnson, de 55 anos, tornou-se no dia 27 de março no primeiro líder de uma grande potência a anunciar que testou positivo para o coronavírus. Ele se isolou em um flat de Downing Street e, na sexta-feira, informou que ainda estava lá por apresentar temperatura alta.

Downing Street ressaltou que não se trata de uma internação de emergência. Os médicos do premiê consideraram sensato que ele fosse examinado pessoalmente. “Johnson permanece no comando do governo”, afirmou Downing Street.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

“O primeiro-ministro agradece às equipes do Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês) pelo trabalho duro e incrível que estão fazendo e pede ao público que continue a seguir as orientações do governo para permanecer em casa, protegendo o NHS e salvando vidas”, afirma o comunicado oficial.

Carrie Symonds, noiva do primeiro-ministro que está grávida, afirmou no sábado que ela passou a última semana de cama com sintomas do coronavírus, mas após sete dias de descanso estava se sentindo melhor e se recuperando.

Mensagem real

Ainda ontem, em um pronunciamento nacional, a rainha Elizabeth II agradeceu aos profissionais de saúde que trabalham sem trégua contra a pandemia e aos britânicos que ficaram em casa para conter a propagação da doença.

“Quero agradecer a todos os que estão na linha de frente”, destacou ela, em uma mensagem à nação considerada histórica. O coronavírus já matou quase 5 mil no Reino Unido. (Com agências internacionais).

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.