Geral

Doria proíbe funcionamento presencial de escritórios de advocacia e contabilidade

COMPARTILHE
26
Advertisement
Advertisement

Após liberar o funcionamento presencial de escritórios de advocacia e contabilidade em meio à quarentena por causa do novo coronavírus, o governo João Doria (PSDB) recuou e decidiu cancelar a permissão neste sábado, 4. Para combater o avanço da covid-19, apenas serviços considerados essenciais estão liberados no Estado de São Paulo.

Florestas de Canela e São Francisco de Paula entram em plano de desestatização

O Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, dia 29 de maio, publica decreto...

Entidade lança livro tirando dúvidas sobre esclerose múltipla

Uma doença neurológica que atinge mais de 2,3 milhões de pessoas em todo o...

PF caça três por propinas na Secretaria da Saúde do Amapá na pandemia

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira, 29, a 2ª Fase da...

O Comitê Administrativo Extraordinário Covid-19, do governo de São Paulo, havia publicado neste sábado, no Diário Oficial do Estado, uma deliberação reforçando que esses escritórios poderiam manter as atividades internas durante a quarentena.

A condição, de acordo com a publicação, era que não houvesse ingresso de público nos locais.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

O documento lista, ainda, a liberação do funcionamento de prédios comerciais e de estabelecimentos de peças e acessórios para veículos automotores. Em São Paulo, o fechamento de comércios, escolas e outros serviços que não são considerados essenciais está em vigor desde o dia 24 de março.

Na tarde deste sábado, no entanto, o governador João Doria se pronunciou no Twitter de forma contrária à decisão. “O governo de São Paulo cancelou na tarde deste sábado, 4, a medida que permitia o funcionamento de escritórios de advocacia e de contabilidade em todo o Estado”, escreveu. “Os escritórios poderão funcionar virtualmente, mantendo o atendimento remoto aos seus clientes.”

Pouco antes, o governo chegou a divulgar uma nota esclarecendo que a medida não era uma modificação para o funcionamento desses estabelecimentos — mas sim um reforço do que já havia sido estabelecido pelo decreto da quarentena.

Segundo a nota, a publicação servia para esclarecer dúvidas do setor.

Felipe Resk
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.