Coronavírus

Jovem advogada que morreu em Ibatiba não tinha quadro compatível com coronavírus, informa prefeitura

COMPARTILHE
1830
Advertisement
Advertisement

Circulou, nesta quinta-feira (26), nas redes sociais, a notícia de que uma jovem advogada, moradora de Ibatiba, faleceu nesta quarta (25) e que a suspeita é de que o causador da morte foi o novo coronavírus. A mensagem aponta que o resultado do exame sairá nos próximos dias e que o velório será com o caixão fechado.

Número de mortes no Brasil por coronavírus chega a 114

A covid-19 já foi diagnosticada em 3.904 pessoas no Brasil, tendo resultado na morte...

Alerta constante sobre coronavírus pode causar transtornos a profissionais de saúde

A incansável e permanente luta de profissionais de saúde contra o novo coronavírus pode...

Brasileiro teme bem mais o coronavírus do que efeitos econômicos, indica pesquisa

Os brasileiros estão com mais medo de serem infectados pelo coronavírus, ou de terem...

A Prefeitura de Ibatiba informou que o quadro apresentado pela jovem não era compatível com o coronavírus.  Em nota, eles informaram que os procedimentos do funeral atendem às regras do Decreto 047/2020, que preveem as normas que devem ser adotadas em uma situação de emergência em saúde pública.

A prefeitura esclarece, ainda, que a jovem não se enquadrava em caso suspeito, portanto “não havia evidência nenhuma que levasse a considerar a possibilidade da jovem ter falecido devido ao coronavírus, o que, é preciso ficar claro, não quer dizer que fica excluída essa possibilidade, tendo em vista que, perante uma pandemia, ninguém está isento de contaminação, mas reforçamos que O QUADRO APRESENTADO NÃO ERA COMPATÍVEL COM CORONAVÍRUS”.

Advertisement
Continua depois da publicidade

 

Veja a nota da Prefeitura de Ibatiba, na íntegra:

“Não procede a informação que circulou, hoje (26), nas redes sociais, de que uma jovem que infelizmente veio a falecer ontem (25), no Pronto Socorro de Ibatiba, teria morrido em decorrência do coronavírus e a informação não teria sido divulgada pelas autoridades. Inclusive, a disseminação dessa informação ganhou força devido aos pedidos, atribuídos aos familiares, para que não houvesse aglomeração no funeral.

Acontece que os procedimentos do funeral, neste momento atende às regras estabelecidas no Decreto 047/2020 e devem ser adotados durante esse período de situação de emergência em saúde pública no município.

Esclarecemos ainda que a jovem não se enquadrava em caso suspeito, conforme definição da Nota Técnica (01/22 – SESA –ES) que estabelece parâmetros para notificações referentes à COVID-19, portanto, não havia evidência nenhuma que levasse a considerar a possibilidade da jovem ter falecido devido ao coronavírus, o que, é preciso ficar claro, não quer dizer que fica excluída essa possibilidade, tendo em vista que, perante uma pandemia, ninguém está isento de contaminação, mas reforçamos que O QUADRO APRESENTADO NÃO ERA COMPATÍVEL COM CORONAVÍRUS.

Advertisement

Registramos também que não há interesses por parte do Poder Público de mascarar ou esconder informações, pois acredita-se que  a população bem informada é a melhor maneira de combater a disseminação dessa pandemia.

Pedimos que acompanhem as publicações oficiais e sempre consultem às autoridades para informações confiáveis.

Por fim registramos nosso mais profundo pesar pelo óbito tão precoce dessa jovem advogada com futuro brilhante pela frente e desejamos força à família e a classe da OAB Capixaba.”

Advertisement