Economia

Dólar tem leve recuo ante rivais após Fed elevar liquidez, mas sobe no trimestre

COMPARTILHE
15
Advertisement
Advertisement

O dólar recuou levemente ante outras moedas fortes nesta terça-feira, 31, com exceção do euro, após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) anunciar novas medidas para aumentar a liquidez do sistema financeiro em meio à pandemia de coronavírus.

Governo quer contrato temporário em portos públicos

O governo quer efetivar ainda neste ano uma agenda de desburocratização do setor portuário,...

Empresas preveem mais demissões

Apesar do número já recorde de demissões no mercado de trabalho em abril, o...

Indústria deve deixar de vender mais de 1,3 milhão de veículos neste ano

Com parte das fábricas de volta às atividades, a indústria automobilística produziu em maio...

No fim da tarde em Nova York, o dólar tinha leve queda a 107,54 ienes, o euro caía a US$ 1,1035 e a libra registrava leve alta a US$ 1,2415. O índice DXY, que mede a variação dólar em relação a outras moedas principais, caiu 0,13%, a 99,048 pontos, mas subiu 2,20% no primeiro trimestre de 2020.

Depois de mostrar volatilidade no início da sessão, o dólar perdeu força com o anúncio do Federal Reserve de um novo programa de recompra de títulos voltado a outros bancos centrais. Nas últimas semanas, a autoridade monetária americana também estabeleceu linhas de swap cambial com outros pares para tentar suprir a demanda por liquidez em dólar. Hoje, além disso, o Fed adiou até setembro a implementação de uma nova regulação bancária.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

“O desejo de manter dólares permanece elevado no final do que se espera ser um primeiro trimestre ruim, com as perspectivas ainda piores para o segundo trimestre”, comenta o analista sênior de mercado Joe Manimbo, do Western Union.

Ao resumir os três primeiros meses do ano no mercado cambial, a diretora de estratégia de câmbio Kathy Lien, do BK Asset Management, diz que a busca pela segurança do dólar aumentou, “mas com a propagação do vírus nos EUA, o dólar devolveu alguns ganhos”. “Os investidores se preocuparam com as perspectivas para a economia dos EUA e questionaram os esforços do governo Donald Trump para ajudar empresas e consumidores a sobreviver”, ressalta Lien.

O especialista do banco americano destaca, ainda, que o euro perdeu força hoje após a divulgação da inflação da zona do euro em março. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da região desacelerou de 1,2% em fevereiro para 0,7% neste mês, em meio aos impactos do coronavírus.

Ante moedas emergentes e ligadas a commodities, o dólar subia a 24,7428 pesos mexicanos e a 79,470 rublos russos, mas caía a 17,8828 rands sul-africanos, no fim da tarde em Nova York.

Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.