Economia

FUP pede ao TST que Petrobras repasse à Fiocruz multa cobrada por greve

COMPARTILHE
15
Advertisement
Advertisement

A Federação Única dos Petroleiros (FUP), representante de empregados da Petrobras, pediu ao Tribunal Superior do Trabalho (TST) que a multa de R$ 1,8 milhão cobrada dos sindicatos filiados pela greve de fevereiro seja repassada à Fundação Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz), para que seja aplicada no combate ao coronavírus. O pedido foi inserido no processo que está a cargo do ministro Ives Gandra.

Formação Bruta de Capital Fixo sobe 3,1% no 1º tri ante 4º tri de 2019

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) subiu 3,1% no primeiro trimestre de 2020...

Dívida Bruta do Governo Geral sobe a 79,7% do PIB em abril

Na esteira do aumento dos gastos dos governos para fazer frente à pandemia do...

20 entre 24 atividades têm alta de preços no IPP de abril, diz IBGE

A alta de 0,12% nos preços dos produtos industriais na porta de fábrica em...

A greve dos petroleiros durou 20 dias e tinha como principal objetivo a inserção dos trabalhadores da subsidiária Araucária Nitrogenados (Ansa), instalada no Paraná, no sistema Petrobrás.

A fábrica entrou em processo de hibernação no início do ano. Após intermediação do ministro Gandra, ficou estabelecido que a empresa poderia reter o repasse de R$ 2,47 milhões das mensalidades sindicais pagas pelos funcionários.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

Desse total, R$ 1,8 milhão já foram retidos pela Petrobras e correspondem ao valor que a FUP gostaria que fosse remanejado à Fiocruz.

Na petição, a FUP destaca a importância da Fundação na pesquisa de tratamentos para a covid-19, que está sendo implementada em 18 hospitais de 12 Estados.

Ressalta ainda que a Fiocruz é o braço brasileiro da iniciativa Solidariedade lançada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Fernanda Nunes
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.