Economia

Paulo Guedes diz que não faltará recurso para saúde e economia

COMPARTILHE
14
Advertisement
Advertisement

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse hoje que não faltarão recursos para a saúde e nem para a economia. A afirmação do ministro foi feita durante videoconferência realizada pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e 40 membros do Conselho Superior Diálogo pelo Brasil.

Formação Bruta de Capital Fixo sobe 3,1% no 1º tri ante 4º tri de 2019

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) subiu 3,1% no primeiro trimestre de 2020...

Dívida Bruta do Governo Geral sobe a 79,7% do PIB em abril

Na esteira do aumento dos gastos dos governos para fazer frente à pandemia do...

20 entre 24 atividades têm alta de preços no IPP de abril, diz IBGE

A alta de 0,12% nos preços dos produtos industriais na porta de fábrica em...

O combate aos impactos da pandemia do coronavírus na economia foi o tema da reunião.

“Nenhum brasileiro será deixado para trás. Vamos liberar todos os recursos que a saúde necessitar e, da mesma forma, não deixaremos faltar liquidez na economia”, assegurou o ministro.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Ele também descartou aumento de impostos neste momento, como sugeriram alguns deputados. “A crise que estamos vivendo é transitória. Se aumentarmos impostos, quebraremos as pernas das empresas, o que vai impedir a retomada da economia mais adiante”, ponderou o ministro.

Advertisement

Para Skaf, “o dinheiro tem que chegar nas mãos das empresas”. Ele pediu ao ministro que a medida anunciada ontem (27) para financiar a folha de pagamento de pequenas empresas que faturam entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por dois meses seja estendida às demais companhias, menores e maiores.

Guedes disse aos empresários que um dos grandes desafios agora do governo é conseguir mais testes para a população. Em resposta ao ministro, os empresários se dispuseram a contribuir comprando exames para testar os funcionários e passar o excedente para o poder público.

“Vamos comprar um milhão de testes. Cerca de 70 mil serão para os nossos colaboradores e o restante vamos doar”, disse o co-presidente do Conselho da Ambev, Victorio de Marchi.

Edgard Corona, presidente do Grupo Bio Ritmo/Smart Fit, também prometeu adquirir exames para seus funcionários e para a população. “Queremos inundar o Brasil de testes”, disse Corona.

Guedes disse que o ministro-chefe da Casa Civil, Braga Neto, foi destacado para cuidar da logística da distribuição dos exames doados pelas empresas.

Francisco Carlos de Assis
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.