Esporte Nacional

Presidente do Vasco condiciona novo treinador ao retorno das competições

COMPARTILHE
30
Advertisement
Advertisement

O presidente do Vasco, Alexandre Campello, condiciona a contratação de um novo treinador à retomada do futebol e das competições no Brasil. O dirigente afirma que não faria sentido fazer a contratação do substituto de Abel Braga num momento em que todos os torneios estão paralisados em razão da pandemia do novo coronavírus.

Adiamento da Olimpíada ajuda brasileiros pegos no doping, lesionados e novatos

A mudança da data dos Jogos de Tóquio fez alguns atletas brasileiros recuperarem a...

Goleiro turco adversário do Brasil na Copa de 2002 é diagnosticado com covid-19

Rustu Recber, goleiro da seleção turca, que enfrentou e perdeu duas vezes para o...

Estádio de final da Liga dos Campeões vira hospital contra o coronavírus

O Millennium Stadium, ou Principality Stadium, será mais um estádio de futebol que vai...

“Acho que as conversas podem começar, com contrato com vigência a partir da apresentação dos atletas. Não adianta contratar treinador e começar a pagar dia 1º com o time em férias”, disse o presidente, em entrevista ao canal “Atenção, Vascaínos”, no YouTube. “Está no momento de começar a trabalhar isso. É importante a gente se preparar.”

Campello garantiu que ainda não está trabalhando diretamente na busca pelo treinador. Abel deixou o clube no dia 16 de março, logo após derrota para o Fluminense em clássico disputado na Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. Logo depois o Estadual foi paralisado devido à pandemia.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

“Tem se especulado muito sobre treinador, se falado muita coisa, mas ainda não existe nada”, afirmou Campello, que evitou apontar o perfil do futuro treinador vascaíno. Mas o mandatário disse que terá nenhum critério quanto à nacionalidade do profissional. Nos últimos meses, o rival Flamengo tem feito muito sucesso com o trabalho do português Jorge Jesus.

“Acho que não tem essa coisa de ser estrangeiro ou brasileiro. Tem que pensar. Se vale a pena trazer um estrangeiro, não é porque um ou outro deram certo. Podemos trazer alguém de fora e dar certo, como deu certo com o Jesus e o (Jorge) Sampaoli. Mas pode trazer também e não dar certo. Temos que analisar as oportunidades”, comentou.

Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement