Política Nacional

Bolsonaro debocha de presença da imprensa por risco de coronavírus

COMPARTILHE
47
Advertisement
Advertisement

Após minimizar os efeitos do novo coronavírus durante pronunciamento em cadeia nacional, o presidente Jair Bolsonaro questionou a presença da imprensa na saída do Palácio da Alvorada por riscos de contaminação da doença. Sem se aproximar do local onde jornalistas o aguardavam, Bolsonaro disse que eles deveriam estar em casa de quarentena.

Bolsonaro indica que Mandetta está mantido no cargo e não assina voucher nesta 3ª

O presidente Jair Bolsonaro amenizou o clima de tensão vivido nos últimos dias com...

Maia: redução de salários precisa ser decisão ajustada com os três Poderes

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que vinha admitindo a possibilidade de cortar...

Mandetta nega que OMS tenha pedido fim do isolamento e defende quarentena

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, negou que a Organização Mundial da Saúde...

“Imprensa, vocês estão aqui trabalhando. Tem que ficar em casa, pô. Quarentena, pô. Fica em quarentena em casa”, disse Bolsonaro. Enquanto o presidente falava, um ajudante de ordens filmava os profissionais.

Em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão, na terça-feira, 24, Bolsonaro criticou o rigor das medidas de isolamento que têm sido recomendadas ou determinadas no País para conter o avanço do novo coronavírus. Na fala, o presidente chegou a recomendar que “algumas poucas autoridades, estaduais e municipais, devem abandonar o conceito de terra arrasada”, em medidas como a “proibição de transportes”, o “fechamento do comércio” e o “confinamento em massa”. O fim do isolamento, no entanto, contraria recomendações médicas e vai de encontro ao que o próprio Ministério da Saúde defendia até esta quarta, 25.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

No último domingo, 22, Bolsonaro publicou um decreto que inclui a imprensa na lista de serviços essenciais e vedou que trabalhadores desta área sejam proibidos de circular. Ainda assim, o Grupo Estado tem adotado o home office para 90% dos profissionais da empresa. As exceções são casos excepcionais, como para aqueles que precisam acompanhar a agenda do presidente da República.

“Atenção, povo do Brasil, esse pessoal aqui diz que eu estou errado porque tenho que ficar em casa. Agora eu pergunto: o que que vocês estão fazendo aqui? Imprensa brasileira, o que vocês estão fazendo aqui? Não tão com medo do coronavírus, não. Vão para casa. Todo mundo sem máscara”, falou Bolsonaro na gravação, dirigindo-se aos jornalistas.

Segundo recomendações do Ministério da Saúde, o uso de máscaras deve ser adotado por aqueles que possuem sintomas de síndromes respiratórias.

Julia Lindner
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement