Política Nacional

Bolsonaro debocha de presença da imprensa por risco de coronavírus

COMPARTILHE
51
Advertisement
Advertisement

Após minimizar os efeitos do novo coronavírus durante pronunciamento em cadeia nacional, o presidente Jair Bolsonaro questionou a presença da imprensa na saída do Palácio da Alvorada por riscos de contaminação da doença. Sem se aproximar do local onde jornalistas o aguardavam, Bolsonaro disse que eles deveriam estar em casa de quarentena.

Defesa de Flávio Bolsonaro quer ser parte em reclamação proposta pelo MP-RJ

A defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) pediu nesta segunda-feira, 13, para ser habilitada...

PSOL pede que Bolsonaro seja investigado por 'estímulo a violar isolamento'

Os deputados federais Ivan Valente e Luiza Erundina e o ex-candidato a presidente Guilherme...

PGR alega 'competência federal' e pede ao STJ liberdade para ex-secretário do Rio

A Procuradoria Geral da República (PGR) entrou com pedido junto ao presidente do Superior...

“Imprensa, vocês estão aqui trabalhando. Tem que ficar em casa, pô. Quarentena, pô. Fica em quarentena em casa”, disse Bolsonaro. Enquanto o presidente falava, um ajudante de ordens filmava os profissionais.

Em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão, na terça-feira, 24, Bolsonaro criticou o rigor das medidas de isolamento que têm sido recomendadas ou determinadas no País para conter o avanço do novo coronavírus. Na fala, o presidente chegou a recomendar que “algumas poucas autoridades, estaduais e municipais, devem abandonar o conceito de terra arrasada”, em medidas como a “proibição de transportes”, o “fechamento do comércio” e o “confinamento em massa”. O fim do isolamento, no entanto, contraria recomendações médicas e vai de encontro ao que o próprio Ministério da Saúde defendia até esta quarta, 25.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

No último domingo, 22, Bolsonaro publicou um decreto que inclui a imprensa na lista de serviços essenciais e vedou que trabalhadores desta área sejam proibidos de circular. Ainda assim, o Grupo Estado tem adotado o home office para 90% dos profissionais da empresa. As exceções são casos excepcionais, como para aqueles que precisam acompanhar a agenda do presidente da República.

“Atenção, povo do Brasil, esse pessoal aqui diz que eu estou errado porque tenho que ficar em casa. Agora eu pergunto: o que que vocês estão fazendo aqui? Imprensa brasileira, o que vocês estão fazendo aqui? Não tão com medo do coronavírus, não. Vão para casa. Todo mundo sem máscara”, falou Bolsonaro na gravação, dirigindo-se aos jornalistas.

Segundo recomendações do Ministério da Saúde, o uso de máscaras deve ser adotado por aqueles que possuem sintomas de síndromes respiratórias.

Julia Lindner
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.