Economia

Movimento volta ao normal, preços sobem e álcool gel continua em falta, diz Apas

COMPARTILHE
38
Advertisement
Advertisement

O movimento de consumidores nas lojas dos supermercados paulistas está voltando ao ritmo normal, segundo a Associação Paulista de Supermercados (Apas), em comunicado divulgado nesta quarta-feira. Nesta quarta-feira, 24, primeiro dia de quarentena no Estado de São Paulo, as vendas cresceram 18,2% em comparação a 25 de fevereiro (uma terça-feira). Este aumento foi semelhante ao verificado na segunda-feira da semana passada (16), o que indica a estabilidade no fluxo de vendas.

Bolsas de NY fecham em queda apesar de aprovação de pacote de estímulo econômico

As bolsas de Nova York fecharam em queda, mas reduziram perdas próximo ao horário...

Bolsa fecha em baixa de 5,51%, mas acumula ganho de 9,48% na semana

Mais uma vez correlacionado ao exterior, o Ibovespa fez uma pausa na sequência de...

Setores de transportes reagem a propostas de suspensão da cobrança de pedágios

Entidades representativas do setor de transportes e infraestrutura reagiram nesta sexta-feira, 27, a propostas...

No entanto, por conta da alta demanda nos últimos dias, a associação constatou que alguns produtos subiram de preço – iniciativa que partiu dos fornecedores e foi repassada pelos supermercados, de acordo com a entidade. “Os associados da Apas têm procurado negociar com seus fornecedores mas, em alguns casos, precisam repassar seus custos”, diz a nota. Segundo a associação, um trabalho em conjunto com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça, está sendo feito para evitar práticas abusivas.

Entre os itens que sofreram maior aumento estão o leite longa vida (alta de 54%, sem disponibilidade de compra); feijão (aumento de 67%, sem disponibilidade de compra), alho (45%) e batata (90%).

Advertisement
Continua depois da publicidade

O produto mais procurado, porém, continua fora das prateleiras. O abastecimento do álcool em gel ainda não foi normalizado para os supermercados. “A indústria está se esforçando para atender os pedidos e o abastecimento deverá se normalizar em breve”, diz a Apas.

Advertisement

Daniele Madureira, especial para O Estado
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement