Cidades

Responsável por barragem de Alegre reconhece que precisa melhorar comunicação com a população

COMPARTILHE
3159
Advertisement
Advertisement

A Statkraft Energias Renováveis S/A, empresa responsável pela barragem PCH Francisco Gros, em Alegre, reconheceu que precisa melhorar a comunicação com a população. No mês passado, durante as chuvas que devastaram cidades do Sul do Espírito Santo, mensagens falsas de rompimento provocou muito pânico em moradores ribeirinhos da região.

Carnaval em Anchieta: Iriri vai contar com Pronto Atendimento Itinerante

Para atender com mais qualidade moradores e turistas durante o carnaval, a Secretaria Municipal...

Saúde: sistema inova atendimento em Atílio Vivácqua, com unificação de prontuário

Atílio Vivácqua agora conta com um sistema de prontuário eletrônico para a atenção primária...

Veja como fica o tempo nesta segunda-feira (17) no Espírito Santo

Segunda-feira (17) com sol e variação de nuvens ao longo do dia em todo...

O diretor de operação e manutenção da empresa Statkraft, responsável pela PCH, Vito Joseph Mandilovich, em entrevista ao AQUINOTICIAS.COM, disse que o volume de chuva que caiu no mês passado pode ser considerado o maior dos últimos 200 anos e a vazão chegou a uma média de 20 piscinas olímpicas por minuto, o que corresponde a 50 milhões de litros de água.

“Não há qualquer tipo de risco de rompimento da barragem”, afirma o diretor de operação e manutenção da empresa Statkraft, Vito Joseph Mandilovich

Ele conta que não há qualquer tipo de risco de rompimento da barragem e que todos os reparos, após erosão provocada em sua base, foram realizados com a reconstrução feita com rochas e concreto armado.

Advertisement
Continua depois da publicidade

“O alerta foi feito durante as chuvas devido à dificuldade de fazer uma inspeção por terra. Mas fizemos um sobrevoo no local e depois uma vistoria por terra. Podemos garantir que não há qualquer anormalidade com a barragem. Toda a operação da PCH é feita à distância, mas também é possível fazer o controle no local. Seguimos rigorosamente o plano de segurança que foi aprovado pelos órgãos de fiscalização e laudos são feitos periodicamente e encaminhados para a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL)”, explicou Mandilovich.

O diretor de operação e manutenção da Statkraft reconheceu que houve falhas de comunicação junto à comunidade local, principalmente, segundo ele, por conta de fake news espalhadas nas redes sociais, mas ressalta que a empresa que uma aproximação com a população para melhorar a sua comunicação.

“Diante das fake news espalhadas, faltou entrosamento com os órgãos públicos da região, por isso temos que melhorar nossa comunicação. Seguimos o protocolo e a comunicação era feita com a Defesa Civil a cada 30 minutos, mas parece que as notícias falsas afastaram os órgãos. Vamos estreitar nossa comunicação com a população, iremos realizar um cadastro nos próximos dias e ouvir os moradores”, disse Vito.

Para garantir a segurança da barragem, relata Mandilovich, uma empresa terceirizada é contratada para fazer os laudos. “Isso impede que haja qualquer tipo de interferência interna dentro da Statkraft. Nos próximos dias iremos fazer uma nova vistoria na PCH de Alegre com toda a instrumentação necessária para a emissão de laudo de inspeção”, finaliza.

Advertisement

Advertisement