Geral

Ciro Gomes: Cid Gomes foi vítima de dois tiros de arma de fogo por parte de PMs

COMPARTILHE
383
Advertisement
Advertisement

O ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) comentou em sua conta no Twitter sobre a violência sofrida na tarde desta quarta-feira, 19, pelo seu irmão e senador licenciado pelo Ceará, Cid Gomes. Segundo Ciro, o senador foi “vítima de dois tiros de arma de fogo por parte de policiais militares amotinados e mascarados”. A situação aconteceu em Sobral, no Ceará.

Rio chega a 106 mortes por covid-19; pelo menos 1.938 pessoas foram infectadas

Dezessete pessoas morreram de covid-19 e 250 novos casos da doença foram confirmados no...

DOU extra: MP abre crédito extraordinário de R$ 2,6 bilhões para Saúde

O governo federal abriu novo crédito extraordinário, no valor de R$ 2,6 bilhões, em...

Veja aplicativos que auxiliam professores nas aulas durante quarentena

Por conta da pandemia da Covid-19, medidas essenciais foram tomadas para que não houvesse...

“Até aqui as informações médicas são de que as balas não atingiram órgãos vitais apesar de terem mirado seu peito esquerdo. Novos exames estão sendo feitos, mas a palavra aos familiares e amigos é de que Cid não corre risco de morte”, informou Ciro Gomes.

Cid foi atingido pelos tiros enquanto tentava arrombar o portão de um batalhão da Polícia Militar cearense na cidade de Sobral. Operando uma retroescavadeira, o parlamentar avançou contra o portão e os agentes de segurança que estavam no batalhão, como pode ser visto em vídeos publicados na internet. O senador criticava os protestos de policiais, que reclamam aumento salarial.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Ciro Gomes disse esperar “que as autoridades responsáveis apresentem prontamente os marginais que tentaram este homicídio bárbaro às penas da lei”.

O líder do PDT na Câmara, André Figueiredo (CE), disse que duas balas de verdade que atingiram o ombro de Cid. “Não foram de borracha”, contou o deputado.

Gregory Prudenciano e Camila Turtelli
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Advertisement