Espírito Santo

Aderes oferece linha de crédito para profissionais que desejam empreender

COMPARTILHE
Close-up shot of unrecognizable business partners shaking hands as sign of successful negotiations, clipboard with signed documents on foreground
41
Advertisement
Advertisement

A Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes), em parceria com a Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti), está oferecendo uma linha de crédito para empreendedores: o Acreditar ES. Trata-se de um crédito para profissionais que concluíram cursos de qualificação profissional pelo Governo do Estado, dentre eles o Programa Qualificar.

Alerta: chuvas fortes no Caparaó podem causar enchentes no Rio Itapemirim esta madrugada

As fortes chuvas não cessam em todo o Espírito Santo. Desde às 16h desta...

Sedes cria grupo de trabalho para auxiliar retomada econômica dos municípios afetados pelas chuvas no ES

Representantes da Secretaria de Desenvolvimento (Sedes) se reuniram, na manhã desta segunda-feira (20), com...

Auditores Fiscais Federais Agropecuários do ES atuaram rapidamente para conter o risco de consumo de cerveja contaminada

A ação rápida dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Affas) do Espírito Santo foi essencial...

O diretor-presidente da Aderes, Alberto Gavini, ressalta que o Programa Acreditar ES tem o objetivo de fomentar o empreendedorismo e a economia criativa. “Além de tudo, contribui para a ampliação do mercado, fazendo com que novos negócios sejam criados”, diz.

Ao solicitar o crédito, o interessado poderá escolher entre duas modalidades que o Programa Acreditar ES oferece: o crédito para capital de giro, para financiar a continuidade das operações do empreendimento, com limite de R$ 1,5 mil e prazo até 24 meses para pagamento; ou o crédito de investimento fixo, para financiar máquinas e equipamentos diversos, com limite até R$ 3 mil e com prazo até 30 meses para pagar.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Alberto Gavini explica que, para ter acesso ao benefício, o aluno deve apresentar um plano de negócios e alerta que o uso do crédito não deve ser usado para o pagamento de dívidas pessoais. Ele destaca ainda a finalidade do projeto.

“Depois de selecionados, os interessados devem utilizar o microcrédito exclusivamente para produção e condições operacionais do empreendimento. Além disso, toda metodologia é baseada no relacionamento direto dos micro e pequenos empreendedores com o agente de Crédito do município. Após a liberação do crédito pelo Banco do Espírito Santo (Banestes), o agente de Crédito passa a acompanhar o empreendedor na aplicação e orientação de financiamento”, destaca Gavini.

Advertisement
Publicidade