Economia

Fila no INSS: TCU dá 5 dias de prazo para governo entregar dados

COMPARTILHE
12
Advertisement
Advertisement

O Tribunal de Contas da União (TCU) cobrou do governo um raio x dos pedidos atrasados de benefícios do INSS e o custo operacional para acabar com a fila.

Quarta-feira de Cinzas foi de forte correção nos ativos domésticos

Como esperado, a Quarta-feira de Cinzas foi de forte correção nos ativos domésticos ao...

Bolsas de NY fecham na maioria em baixa, com disseminação de coronavírus

As bolsas de Nova York fecharam mistas, nesta quarta-feira, 26, com o Nasdaq decolando...

Bolsa fecha em queda de 7% e retorna a níveis de meados de novembro

Para quem temia a possibilidade de acionamento de 'circuit breaker', a perda de 7%...

Em requerimento despachado hoje, o Tribunal deu prazo de cinco dias para os ministérios da Economia, Casa Civil, Defesa e o INSS entreguem informações detalhadas sobre a contratação de militares da reserva para reforçar o atendimento da fila. O atraso já chega a quase dois milhões de pedidos. O TCU quer saber em quanto tempo o INSS vai reduzir esse volume.

O pedido faz parte de recurso apresentado pelo Ministério Público junto ao TCU, que pede a suspensão imediata da contratação de militares da reserva para compor o quadro do INSS.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

A área técnica vai fazer uma radiografia da extensão da fila. Para isso, o Tribunal fará uma diligência no INSS. O órgão terá que entregar indicadores de tempestividade e produtividade no atendimento e na análise de requerimentos dos benefícios dos últimos cinco anos.

O INSS será obrigado a mostrar o fluxo de requerimentos, tempo médio de análise, concessão e outros indicadores para fazer uma avaliação do atual estoque dos requerimentos atrasados. Além desses dados, o órgão terá que enviar detalhamento dos pedidos atrasados por tempo de atraso, faixa de renda, Estado da Federação, complexidade de análise do benefício. Ele quer mapear a gravidade dos atrasos. O custo operacional também terá que ser enviado.

Uma lista com 30 pedidos diferentes de informações foi apresentada aos três ministérios e ao INSS. Essas informações servirão de base para o TCU decidir sobre o pedido de cautelar. O relator é o ministro Bruno Dantas, que já avisou ao secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, que o governo precisa incluir civis na contratação.

O TCU negocia uma solução com o governo para estender a contratação temporária também para servidores civis aposentados. Uma reunião está marcada para a próxima terça-feira.

Adriana Fernandes
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement