Economia

ANP aprova leilão de 10 milhões de m³/dia de gás do Gasbol pela Petrobras

COMPARTILHE
52
Advertisement
Advertisement

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou na quinta-feira, 16, em sua reunião semanal, a realização de um leilão pela Petrobras do volume de 10 milhões de metros cúbicos diários (m³/d) de gás natural que importa da Bolívia, seguindo a política do governo de estimular o fim do monopólio da estatal no setor de gás natural, abrindo o setor para a iniciativa privada.

China: Número de infectados por coronavírus passa de 78,5 mil; são 2.460 mortos

Por Renato CarvalhoO número de casos confirmados de coronavírus em todo o mundo chegou...

Itália: Governo suspende três jogos de futebol por casos de coronavírus

Três partidas de futebol da Série A do Campeonato Italiano agendadas para este domingo,...

Israel: Autoridades pedem quarentena para quem teve contato com sul-coreanos

Autoridades de saúde israelenses e palestinas pediram neste sábado que as pessoas que estiveram...

De acordo com o relator da proposta, o diretor da agência José Cesário Cecchi, a empresa irá vender o gás pelo preço que compra da Bolívia com adicional de 2,4%, referente à margem de comercialização. No início das negociações a companhia pretendia cobrar uma taxa de 9,4%.

Em Termo de Compromisso assinado entre a Petrobras, a Transportadora Brasileira Gasoduto Brasil-Bolívia (TBG) e a ANP, em dezembro do ano passado, foi aprovada uma chamada pública para contratação de transporte do gás boliviano que não será mais adquirido pela Petrobras, que reduziu a compra do país vizinho quase pela metade, dos 30 milhões de metros cúbicos diários acordados em 1999.

Advertisement
Continua depois da publicidade

Em um novo contrato, a estatal firmou compromisso de adquirir 18 milhões de metros cúbicos diários, o que foi contestado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), determinando que a estatal se limitasse à compra de 8 milhões de metros cúbicos.

“Ela (Petrobras) vai repassar os contratos de venda da molécula e de compra de capacidade na TBG, vai atuar como uma comercializadora de gás para terceiros. A negociação começou com 9,4% e hoje teve reunião e foi oferecido 2,4%”, disse Cecchi ao relatar o caso aos outros diretores da agência, que aprovaram a realização do leilão.

“Isso viabiliza a chamada pública”, informou Cecchi.

A chamada pública deverá ocorrer junto com o leilão da Petrobras.

Advertisement

Denise Luna
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement