Política Nacional

Lava Jato denuncia gestor de gráfica ligada ao PT

COMPARTILHE
21
Advertisement
Advertisement

O Ministério Público Federal no Paraná denunciou nesta quinta-feira, 16, Paulo Roberto Salvador, administrador da Editora Gráfica Atitude, pelo crime de lavagem de dinheiro. A Atitude, de acordo com as investigações, é ligada ao PT. Salvador é acusado de lavar R$ 2,4 milhões, entre 2010 e 2013, por meio da celebração de contratos de prestação de serviços ideologicamente falsos com o Grupo Setal/SOG Óleo e Gás. Esta é a primeira denúncia da Lava Jato em 2020.

Bolsonaro afirma que 'implodiu' Inmetro por 'excesso de zelo' em regra para táxis

O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado, 22, que demitiu a diretoria do Instituto...

Após dois dias internado, Olavo de Carvalho recebe alta do hospital

O guru bolsonarista Olavo de Carvalho informou neste sábado, 22, que recebeu alta do...

Presença de Bolsonaro eleva adesão para criação do partido Aliança pelo Brasil

Após voltar de um passeio na manhã deste sábado pelas ruas do Guarujá, o...

Segundo a Procuradoria, Salvador teve “apoio” do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, do executivo do Grupo Setal/SOG Óleo e Gás Augusto Mendonça e do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. A denúncia afirma que Mendonça prometeu pagamento de propina a Duque – apontado como operador do PT no esquema na Petrobras – e a Vaccari relativa a contratos da estatal petrolífera. Para isso, conforme a acusação, os R$ 2,4 milhões foram repassados pelo Grupo Setal/SOG Óleo e Gás de forma dissimulada, por meio da contratação da Editora Gráfica Atitude, a pedido de Vaccari.

“Os repasses foram realizados com base em contratos e notas fiscais ideologicamente falsos, e a gráfica jamais prestou serviços reais às empresas do grupo Setal/SOG”, sustenta a força-tarefa da Lava Jato.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

Mendonça, Vaccari e Duque já respondem pelo crime de lavagem descrito na denúncia perante a 13.ª Vara Federal de Curitiba. Pelo crime de corrupção, os três já foram condenados.

A defesa de Salvador não foi localizada pela reportagem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Pedro Prata
Estadao Conteudo
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement