Cidades

Quatro meses após ordem de serviço dada pelo Governo do Estado, obras da ES 185 não começaram

COMPARTILHE
1917
Advertisement
Advertisement

Uma novela que não tem fim! Assim pode ser tratada a obra de asfaltamento da rodovia ES 185 e ES 493, entre o município de Divino de São Lourenço e o distrito de São Tiago, em Guaçuí. E os capítulos parecem se repetir após sequência de ordens de serviços dadas pelo Governo do Estado.

Ações de recuperação de estradas rurais serão ampliadas este mês em Cachoeiro; veja os locais que receberão melhorias

As chuvas intermitentes, ocorridas de dezembro de 2019 a março deste ano, provocaram grandes...

Veja as ações que já foram feitas em Cachoeiro para combater a pandemia de Covid-19

Desde o início de março, quando os primeiros casos de Covid-19 foram confirmados no...

Seminário on-line celebra 14 anos de comitê do rio Itapemirim

Em comemoração aos 14 anos do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Itapemirim (CBH...

Há 40 anos a rodovia se encontra em estado precário, e com as chuvas a situação se agrava ainda mais, já que provocam lama e buracos, tornando o trajeto de 12,6 quilômetros um verdadeiro pesadelo para os motoristas.

Ordem de serviço

Em julho deste ano, o governador Renato Casagrande assinou a ordem de serviço para a pavimentação do trecho e prometeu que em no máximo em uma semana a situação iria mudar. Porém, após quatro meses as obras ainda não tiveram início.

Advertisement
Continua depois da publicidade

De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-ES), os trabalhos não tiveram início pelo fato da empresa vencedora da licitação ter desistido da obra e pela quarta vez foi preciso refazer o processo de licitação. “No momento, o órgão está em fase de aguardar as documentações administrativas, autorizações e licenças ambientais necessárias para que se iniciem os primeiros serviços”, informou o órgão, em nota.

O trecho é de extrema importância para a retomada do desenvolvimento na região do Caparaó e é uma solicitação aguardada por todos os moradores, pois é um dos principais meios de escoação da agricultura familiar, e a melhoria da via irá facilitar a mobilidade de comunidades, transporte das mercadorias e alavancar o agroturismo.

Cenas repetidas

Em uma breve consulta aos arquivos do AQUINOTICIAS.COM, a reportagem localizou algumas matérias referentes ao trecho, onde o Estado já havia autorizado as obras. Em muitos casos, houve a paralisação dos trabalhos por problemas contratuais.

Em 29 de junho de 2010, o então governador Paulo Hartung cumpriu agenda na região do Caparaó e visitou as obras de implantação e pavimentação das Rodovias ES 493 e ES 185. Na época, o Governo do Estado disse que estava investindo aproximadamente R$ 17 milhões na pavimentação do trecho com objetivo de oferecer mais conforto e segurança para os usuários.

Advertisement

No dia 29 de dezembro de 2017, mais uma vez o Estado deu ordem de serviço para a pavimentação do trecho. O valor, no entanto aumentou em R$ 2 milhões, passando para R$ 19 milhões o custo da obra.

Quem estava tocando a obra era a empresa Praenge Construtora Eirelli EPP, que segundo o Geobras-ES, sistema de informação do Tribunal de Contas, chegou a receber R$ 1.874.311,05. No entanto, no dia 5 de abril deste ano os trabalhos foram paralisados por rescisão contratual.

Já no dia 12 de julho de 2019, o atual governador Renato Casagrande deu ordem de serviço para a retomada das obras de pavimentação das rodovias ES 493 e ES 185, com um investimento de aproximadamente R$ 12,5 milhões.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.