Saúde

Primeira vacina anticoncepcional para homens será lançada em 2020

COMPARTILHE
507

/com informações Olhar Digital

Brasileiros assinam convênio para desenvolver remédios contra malária

/com informações Agência Brasil   Pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas ( Unicamp ) e da...

Ministério estima que 135 mil brasileiros vivam com HIV sem saber

Cerca de 135 mil pessoas vivem com HIV no País e não sabem. A...

Credibilidade de vacinas é menor entre homens e jovens, diz pesquisa

/com informações Agência Brasil   Uma pesquisa feita pela organização não governamental Avaaz, em parceria com...

 

As mulheres têm várias opções de contracepção (ato de evitar a gravidez), que vão de pílulas a implantes e injeções. Já os homens, além do uso de preservativos, têm apenas uma opção: a esterilização, que nem sempre é ideal, pois envolve cirurgia e pode ser difícil de reverter.

Continua depois da publicidade

Mas esse cenário pode mudar em breve, já que pesquisadores na Índia concluíram os testes de uma injeção masculina de controle de natalidade. A única coisa que ainda está pendente é a aprovação regulatória.

“Os testes terminaram, incluindo estudos clínicos de fase 3 estendidos para os quais 303 candidatos foram recrutados com 97,3% de taxa de sucesso e sem efeitos colaterais relatados”, disse o pesquisador RS Sharma, cientista sênior do Conselho Indiano de Pesquisa Médica, ao jornal The Hindustan Times. “O produto pode ser chamado com segurança de o primeiro contraceptivo masculino do mundo”.

A vacina é um polímero que um médico injeta nos vasos deferentes de um paciente, sob anestesia local. É o mesmo tubo que é cortado durante uma vasectomia; bloqueá-lo com um polímero atinge o mesmo objetivo – impedir que o esperma saia dos testículos – sem exigir que um paciente seja submetido à cirurgia. Além disso, o novo contraceptivo perde sua potência após 13 anos, por isso não é tão definitivo quanto uma vasectomia.

Agora que todo o processo de pesquisa e desenvolvimento já está concluído, o destino da injeção está nas mãos dos reguladores da Índia.

VG Somani, gerente de controle de drogas da Índia afirmou: “É o primeiro do mundo na Índia, por isso temos de ter cuidado extra com a aprovação, levará de seis a sete meses para que ela seja concluída”.

 

Via: Futurism

Publicidade