Política Regional

Governo sanciona lei do deputado Luciano Machado que institui a Política Estadual de Agricultura de Precisão

COMPARTILHE
47

governadora em exercício Jaqueline Morais (PSB) sancionou nesta quarta-feira o projeto de lei de autoria do deputado estadual Luciano Machado (PV) que institui a Política Estadual de Agricultura de Precisão. O PL 560/2019 havia sido aprovado pelos deputados estaduais por unanimidade, no dia 23 de outubro.

PL que obriga atendimento prioritário a pessoas com Síndrome de Down é aprovado na Ales

A Assembleia Legislativa do Espírito Santo aprovou nesta quarta-feira (11), o projeto de lei...

Câmara de Marataízes aprova e caberá a Tininho dar aumento nos salários de vereadores, prefeito e vice

Em tempo recorde a Câmara Municipal de Marataízes votou e aprovou na noite desta...

Marataízes: reajuste salarial de vereadores, prefeito e vice terá impacto de R$ 3,2 milhões aos cofres públicos

Se a proposta de reajuste salarial dos salários dos vereadores, prefeito e vice for...

O objetivo da lei estadual da Agricultura de Precisão é oferecer maior eficiência na aplicação de recursos e insumos de produção agrícola, diminuindo o desperdício na fase de produção e aumentando a produtividade, lucratividade e garantia a sustentabilidade ambiental.

Destaque para a produção consciente, ampliação da utilização das tecnologias disponíveis para os produtores rurais, especialmente os da Agricultura Familiar e empreendimentos rurais familiares.

Continua depois da publicidade

Agricultura de Precisão

É um sistema de gerenciamento agrícola com base na variação das culturas plantadas que preza a qualidade do solo. É um conjunto de dados a serem utilizados para elevar a eficiência na produção, possibilitando a aplicação de recursos e insumos com maior precisão, diminuindo desperdício, aumentando a produtividade e consequentemente reduzindo impactos ambientais.

“Novos desafios surgem a cada dia em prol da sustentabilidade. Enfrentamos mudanças climáticas e limitações ambientais que nos obriga a ter sensibilidade, pensar e discutir os rumos da Agricultura. Com responsabilidade socioambiental, esta lei incentiva soluções ambientais de baixo custo, colheitas programáveis, variedades de plantas resistentes à seca, índices de produtividade previsíveis e estoque administráveis e seguros, por exemplo”, explica Luciano.

Publicidade