Agronegócio

Casagrande abre oficialmente 15ª edição da RuralTur em Venda Nova do Imigrante

COMPARTILHE
96
Advertisement
Advertisement

O governador Renato Casagrande esteve nesta quinta-feira (21) no município de Venda Nova do Imigrante, na região serrana do Estado. Ele participou da abertura da 15ª Feira Nacional de Agroturismo Rural (RuralTur), que segue até o domingo (24) no Centro de Eventos Padre Cleto Caliman, o Polentão. O governador também fez a entrega de 18 novos veículos, além de equipamentos para o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf). Na solenidade, o governador também distribuiu os primeiros certificados de concessão do Selo ARTE a agroindústrias produtoras de socol.

Pioneirismo: pecuaristas de Itapemirim ganharão vacas embrionadas para produção de leite

A Prefeitura Municipal de Itapemirim inova mais uma vez e lançará no próximo dia...

Lavoura e floresta: Sistemas Agroflorestais são tema de seminário no Caparaó

Os sistemas agroflorestais (SAF) têm se destacado como prática sustentável de produção, combinando produção...

Consumo mundial de café em 2019 atinge 168 milhões de sacas

O consumo mundial de café estimado para este ano de 2019 deverá atingir 167,90...

A Ruraltur é considera a maior feira de negócios do Turismo Rural no País, reunindo mais de 70 estandes. A programação conta ainda com seminário, visitas técnicas às propriedades rurais e espaço de culinária, onde os visitantes poderão aprender e degustar receitas como feijão tropeiro, risoto de socol, entre outros.

Em sua fala, o governador Casagrande destacou que é a primeira vez que a feira é realizada fora da região Nordeste. “A RuralTur é um evento nacional que, pela primeira vez, é realizada na região Sudeste e vem aqui para Venda Nova do Imigrante, nosso berço da agroindústria e do agroturismo. Um evento que mostra o potencial turístico do Espírito Santo. Estamos recebendo iniciativas inovadoras. Está sendo lançada aqui no evento a primeira startup capixaba ligada ao turismo. Também estamos entregando equipamentos ao Idaf, o Selo Arte, realizando palestras e seminários. É um investimento maciço na profissionalização de quem trabalha no interior, de quem produz, que pode transformar sua propriedade para receber as pessoas, agregar valor às suas mercadorias e a ter uma nova fonte de renda”, apontou.

Advertisement
Continua depois da publicidade

O secretário de Estado de Turismo, Dorval Uliana, lembrou que a atividade representa 25% da arrecadação de Venda Nova do Imigrante. Ele também comemorou o fato da feira acontecer no Espírito Santo. “É valorizar nossa gente, nosso povo que transformou as atividades que eram de subsistência em negócios, sem perder a essência, o sabor, o carinho com que produzem e abrem suas portas para receber os turistas”, comentou.

Quem visitar a RuralTur terá a oportunidade de conhecer não só os produtores da região das montanhas capixabas, como também das demais regiões turísticas do Espírito Santo. Artesanato de folha de bananeira, biscoitos, geleias, doces, cachaças e roteiros turísticos serão divulgados e comercializados durante o evento. Apresentações culturais, orquestra, teatro, cortejo e o tombo da polenta também fazem parte da programação.

Paralelamente à feira, no auditório do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), acontece um seminário com temas relevantes para o setor. Na programação assuntos como a história do agroturismo capixaba, tropeirismo, relato da experiência do Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul e do “Caminhos do Frio”, evento cultural itinerante no brejo paraibano.

Advertisement

A organização da 15ª RuralTur é do Convention Montanhas e da Associação de Agroturismo do Estado do Espírito Santo (Agrotures), com co-realização da Secretaria de Turismo (Setur) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Todas as informações detalhadas estão disponíveis no site do evento http://ruraltur.montanhascapixabas.org.br

Selo ARTE

Durante o evento, o governador fez a entrega dos primeiros certificados de concessão do Selo ARTE a agroindústrias produtoras de socol, que é um embutido de carne suína feito do lombo do porco. A receita de origem italiana se mantém viva pelas famílias de Venda Nova do Imigrante. Com o selo, os produtos artesanais poderão ser comercializados em todo o território nacional, dispensando a necessidade de adesão ao Serviço de Inspeção Federal (SIF) ou ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISB-POA).

Para Casagrande, a medida faz que o socol tenha uma certidão de nascimento. “Um produto extraordinário que não tinha uma regulamentação de que produto era esse. Agora tem uma certidão de nascimento. Agora os produtores podem comercializar em todo o País e queremos que nosso Estado seja reconhecido nacional e internacionalmente”, disse.

A concessão do Selo ARTE foi regulamentada no Estado do Espírito Santo por meio da Instrução Normativa nº 009, de 19 de novembro de 2019. O selo foi adquirido pelo socol produzido pelas agroindústrias BellaToza, Carnielli e Comércio de Alimentos, Sítio Tapera e TIO VÉ, todas sediadas no município da região serrana. A certificação é um sonho antigo dos produtores artesanais, que poderão acessar mais mercados e aumentar sua renda.

Entregas

Durante a feira, o governador também fez a entrega de 18 veículos modelo Mobi Like da marca Fiat para atender às necessidades do Idaf. Os veículos foram adquiridos com recursos do Fundo Amazônia, com a contrapartida da implementação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) no Espírito Santo. O total investido na aquisição dos carros foi de R$ 716.348,70. O CAR é um registro obrigatório para todos os imóveis rurais (propriedades ou posses), exigido pelo novo Código Florestal (Lei Federal 12.651/2012). No Estado, o Instituto é órgão responsável pela implementação do CAR.

“Os veículos fazem parte da nossa política de incentivo aos produtores rurais. Desde que assumimos o mandato, em janeiro, estamos retomando um trabalho voltado à agricultura e ao meio ambiente. Os veículos serão fundamentais para a preservação e recuperação de nossas florestas. Antes dessas chuvas recentes, passamos por um longo período de seca e só conseguimos produzir água com a cobertura florestal preservada”, lembrou o governador.

Advertisement
Publicidade