Economia

Dólar à vista tem alta de 0,11% e fecha em R$ 4,20 em dia de poucos negócios

COMPARTILHE
19
Advertisement
Advertisement

O dólar à vista fechou a quarta-feira em alta de 0,11%, a R$ 4,2037. O dia foi marcado por feriado em São Paulo e outras praças, como Rio, mas houve algumas negociações com a moeda americana no mercado comercial em outros locais, como Brasília. O volume de negócios ficou em US$ 342 milhões, abaixo da média de dias úteis normais, que costuma ser em torno de US$ 1 bilhão.

Isolamento antes de visitas técnicas adia leilão de plataformas da Petrobras

O leilão de três plataformas da Petrobras marcado para esta quinta, 9, foi transferido...

Bolsas de NY fecham sem direção única, com cautela sobre covid-19 e Nasdaq

Nesta quinta, 9, as bolsas de Nova York fecharam sem sinal único, mas na...

Destoando do pessimismo, juros longos fecham em queda e curtos, de lado

O mercado de juros resistiu ao pessimismo visto nos demais ativos e fechou com...

Por conta do feriado em São Paulo, e o fechamento da B3, não houve mercado futuro de câmbio, que movimenta volumes mais expressivos e determina as cotações no mercado à vista. Com isso, o dólar comercial subiu 0,11% para se ajustar ao referencial Ptax do Banco Central, que caiu 0,11% e ficou em R$ 4,2037.

No exterior, o dólar subiu ante moedas emergentes e fortes, com o impasse das negociações comerciais entre Estados Unidos e China. No início da tarde, a agência Reuters noticiou que um acordo não deve ser fechado este ano, o que ajudou a piorar ainda mais o humor dos investidores.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

O peso mexicano e o peso chileno foram as moedas que mais perderam valor. O dólar subiu 0,77% no México e 0,45% no Chile. Nas moedas fortes, o índice DXY, que mede o comportamento do dólar ante divisas como euro, iene e libra, subia 0,06% no final da tarde.

Altamiro Silva Junior
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement

Ajude o bom jornalismo a nunca parar! Participe da campanha de assinaturas solidárias do AQUINOTICIAS.COM. Saiba mais.