Economia

Petrobras inicia produção de petróleo e gás natural na plataforma P-68

COMPARTILHE
11
Advertisement
Advertisement

A Petrobras informou que iniciou nesta quinta-feira, 14, a produção de petróleo e gás natural, por meio da plataforma P-68, do campo de Berbigão, no pré-sal da Bacia de Santos. Em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa diz que após a P-67, no campo de Lula, e P-76 e P-77, no campo de Búzios, a P-68 é a quarta unidade a entrar em operação em 2019, em linha com o Plano de Negócios e Gestão da Petrobras.

Governo brasileiro avalia positivamente acordo entre EUA e China

O governo brasileiro recebeu positivamente a notícia de que Estados Unidos e a China...

Bolsas de NY sobem com EUA-China; S&P 500 e Nasdaq têm recorde de fechamento

As bolsas de Nova York fecharam em alta em geral modesta nesta sexta-feira, 13,...

Juros curtos fecham com viés de queda com novo corte da Selic no radar

As taxas dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) encerraram a sessão regular nesta sexta-feira,...

“Com capacidade para processar diariamente até 150 mil barris de óleo e comprimir até 6 milhões de m? de gás natural, a P-68 contribuirá para o crescimento da produção da Petrobras, principalmente em 2020, com a interligação de novos poços do campo de Berbigão e com a interligação de poços do campo de Sururu”, diz a estatal.

A plataforma, do tipo FPSO (unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo e gás), está localizada a aproximadamente 230 km da costa do Estado do Rio de Janeiro, em profundidade de água de 2.280 metros.

Advertisement
Advertisement
Continua depois da publicidade

Segundo a estatal, o projeto prevê a interligação de dez poços produtores e sete poços injetores à P-68. O escoamento da produção de petróleo será feito por navios aliviadores, enquanto a produção de gás será escoada pelas rotas de gasodutos do pré-sal.

Os campos de Berbigão e Sururu estão localizados na concessão BM-S-11A, operada pela Petrobras (42,5%), em parceria com a Shell Brasil Petróleo (25%), Total E&P do Brasil (22,5%) e a Petrogal Brasil (10%). Os reservatórios desses campos também se estendem para áreas sob Contrato de Cessão Onerosa (100% Petrobras) e, após o processo de unitização, constituirão as jazidas compartilhadas de Berbigão e Sururu.

Beth Moreira
Estadao Conteudo
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Advertisement
Publicidade